Comportamento

6 dicas para incentivar os estudos dos filhos no Ensino Médio

setembro 13, 2019
Tempo de leitura 5 min

1. Participar da vida escolar

A fase da adolescência pode ser delicada por uma série de motivos, e um deles é o desejo de independência por parte dos adolescentes sem que ainda estejam completamente preparados para isso.

Assim, pode ser mais difícil em alguns momentos que eles aceitem opiniões e intervenções. Como consequência, às vezes é mais complicado se inserir na vida escolar deles.

Porém, a participação dos familiares é fundamental para um melhor desempenho escolar. Então, é essencial encontrar o equilíbrio entre participar e não pressionar o jovem excessivamente.

Uma boa forma de fazer isso é dando exemplos. Se você é adepto da leitura, a possibilidade de que seu(sua) filho(a) também seja é maior. Mas existe o outro lado da moeda: se você é desleixado e desorganizado, isso pode refletir nas atitudes dele(a).

O ato de acompanhar, então, está ligado à sinalização de formas desejáveis de se fazer as coisas. Isso só é possível por meio do diálogo, pois é preciso conversar sobre o que está acontecendo na vida escolar do(a) seu(sua) filho(a) para que, assim, você fique por dentro e possa auxiliar.

​2. Manter um clima agradável

A capacidade de concentração e o equilíbrio emocional dos adolescentes podem ser fortemente influenciados pelo ambiente em que vivem. Ações como evitar o excesso de pressão e desentendimentos e respeitar as vontades deles auxiliam nesse objetivo. 

O envolvimento com os estudos também ajuda a manter um bom clima. A partir do momento em que você mostra para o(a) filho(a) que os significados do que ele(a) está aprendendo valem para toda a vida, além de provas e vestibulares, isso pode motivá-lo(a) mais ainda.

3. Organizar um espaço para os estudos

O ambiente também é formado pelos itens que compõem o espaço de estudo. Já existe um escritório ou local dentro do quarto do(a) seu(sua) filho(a) destinado aos estudos?

Se sim, verifique se determinados pontos estão sendo levados em conta. Caso ainda não exista, procure um espaço para esse fim, não importa se ele ocupará um cômodo inteiro ou uma parte da sala ou do quarto: aqui, a ideia é criar um lugar aconchegante e organizado, que gere uma vontade de permanência.

Características como boa iluminação, tranquilidade e limpeza do espaço são essenciais. Se for possível dedicar um cômodo inteiro, evite que nele existam aparelhos como videogame. Os materiais para consulta e produção de trabalhos, como livros, ficam por perto.

​4. Ajudar a estabelecer uma rotina de estudos

Não é possível supervisionar seu(sua) filho(a) todo o tempo, por isso reforçamos a ideia de incentivar a criação de um calendário e uma rotina de estudos, de forma que a possibilidade de dispersão — ainda que exista — se torne menor.

Isso é positivo por uma série de motivos, e um deles é a otimização do tempo. É melhor ele(a) estudar duas horas por dia sem interrupções do que quatro a todo momento parando para falar com alguém ou fazendo outra coisa, por exemplo.

A noção de otimização do tempo é algo valioso a ser ensinado. Horas bem aproveitadas fazem com que sobre mais períodos para o lazer, inclusive. O planejamento também ajuda a gerar mais confiança na preparação para as provas. É importante que você também esteja por dentro desse calendário. Assim, fica mais fácil cobrar caso note que algo está saindo do previsto.

Essa agenda deve incluir momentos para rever periodicamente os conteúdos já estudados, pois isso ajuda a fixá-los melhor.

5. Criar um sistema de recompensas

Procrastinação: está aí um problema que acomete até nós, adultos. Algo que pode ajudar na diminuição da famosa “enrolação” é a definição de pequenas metas.

Seu(sua) filho(a) precisa fazer um trabalho grande e tem 45 dias para a entrega, por exemplo. Vocês podem combinar etapas a serem cumpridas a cada semana, de modo que não fique tudo para a última hora.

Ele(a) precisa ler um ou mais livros para fazer o trabalho? Sugira que dedique as primeiras semanas a isso e anote pontos que considere relevantes, entre outras coisas. Cumpriu com o combinado na semana proposta? Ótimo! Ofereça recompensas quando isso acontecer.

Esse sistema pode ser eficaz, mas deve ser usado de forma criteriosa para não virar algo sem sentido, apenas da recompensa pela recompensa. O ideal é que elas sejam na forma de combinados, como poder jogar videogame durante um tempo maior ou ir ao cinema naquela semana.

6. Matricular o(a) filho(a) em escolas de qualidade

Por último, mas não menos importante, está a escolha de um colégio diferenciado. Isso pode ser determinante para o sucesso do(a) seu(sua) filho(a) nos estudos.

Alguns pontos importantes a serem avaliados:

Quando começar a pesquisar, compartilhe as informações que você tem e suas impressões com seu(sua) filho(a). Quando for visitar alguma escola que tem em mente, leve-o(a) junto para saber o que ele(a) sentiu. Assim como um ambiente agradável em casa pode estimular os estudos, isso também acontece na escola.

Determinadas ações, como participar da vida escolar do(a) filho(a), criar um bom espaço para estudos, bem como uma rotina para isso, além de oferecer um sistema de recompensas, mostram-se eficientes para o progresso dele(a) em uma época tão importante e desafiadora.

Por último, vimos que um colégio de excelência também é fundamental para o melhor desenvolvimento do filho no ensino médio, na sua preparação para os melhores vestibulares do país e para a vida. Disso nós entendemos bem! Quer saber sobre tudo o que o Colégio Academia pode oferecer? Entre em contato com a gente!

 

 

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário