Educação

Entenda melhor as diferenças entre educação bilíngue e aulas de inglês

março 18, 2020
educação bilíngue
Tempo de leitura 6 min

Não há dúvidas: o mundo contemporâneo requer o domínio de, pelo menos, uma língua estrangeira. E o ensino de outro idioma deve começar ainda na infância, com o conteúdo programático da escola. No entanto, você sabe qual é a diferença entre uma educação bilíngue e apenas ter aulas de inglês rotineiras?

A seguir, descubra como os dois programas de ensino de língua se diferenciam e entenda por que o aprendizado bilíngue traz foco, técnicas, intensidade, naturalidade, integração com o conteúdo, planejamento e continuidade do diálogo aos estudantes em sala.

Além disso, aprenda quais são os motivos de aprender o idioma anglófono ainda na infância, como funciona a educação bilíngue nos colégios e como as escolas têm adotado, cada vez mais, esse método. Comece a leitura agora mesmo e tire todas as dúvidas sobre a questão!

Por que aprender inglês na infância?

A fluência em inglês é um passaporte para se dar bem na vida profissional e acadêmica. Contudo, esse valioso conhecimento deve começar ainda na infância, sabe por quê? A habilidade está mais aguçada em crianças e se perde com o tempo, ainda que pessoas adultas consigam aprender outro idioma.

A pronúncia das palavras, por exemplo, é um ponto sobre o qual os jovens têm mais domínio do que os mais velhos, uma vez que as crianças e os adolescentes aprendem a língua estrangeira ao mesmo tempo em que adquirem a materna (o português brasileiro), tornando o conhecimento mais natural e fluido.

O ensino de língua inglesa na infância estimula, por fim, a criatividade dos pequenos, desenvolvendo o raciocínio dinâmico, aumentando a concentração e estimulando o cérebro dos estudantes.

Como funciona a educação bilíngue ensinada nas escolas?

Você está convencido de que seu(sua) filho(a) deve aprender inglês ainda na infância, mas quer saber como a escola pode tornar esse aprendizado mais natural? Para atender a tal demanda, os colégios têm investido cada vez mais em educação bilíngue, que se diferencia das aulas de inglês focadas em vocabulário e estrutura da língua.

Com o bilinguismo nas instituições brasileiras, o idioma se integra ao ensino de outras matérias, desde matemática até história, passando por geografia e biologia. Em resumo, a exposição ao idioma estrangeiro é contínua e não apenas focada na mecânica estrutural da língua.

É importante não confundir, porém, educação bilíngue com escola internacional (seja inglesa, norte-americana, alemã etc.), uma vez que esse segundo modelo utiliza o currículo do país-alvo e não o disseminado no Brasil.

Portanto, apostar em uma escola bilíngue é uma forma eficiente de contribuir com uma educação globalizada e, ao mesmo tempo, preparar o(a) seu(sua) filho(a) para o acesso às universidades e ao mercado nacional, futuramente.

Quais são as diferenças entre educação bilíngue e aulas de inglês?

Até o momento, você descobriu por que o ensino de língua estrangeira deve começar cedo e como o modelo bilíngue tem sido aplicado nas escolas já na primeira infância. Mas fica esta dúvida: que diferenças existem entre a educação bilíngue e as aulas rotineiras de inglês?

Foco

O(a) jovem se dedica ao aprendizado de muitas matérias e as aulas de inglês podem ficar em segundo plano nesse modelo. Com a educação bilíngue, a língua inglesa passa a fazer parte, efetivamente, da vida do(a) estudante, aumentando o foco dele(a) em aprender outro idioma enquanto assiste a aulas de várias disciplinas do Ensino Fundamental ou do Médio.

Técnicas

As técnicas são outra diferença entre o modelo bilíngue e o programa de aulas de inglês semanais, uma vez que o primeiro consegue extrapolar o ensino de língua inglesa para o dia a dia, desmistificando o aprendizado e tornando-o mais popular entre o(a) jovem.

Integração com o conteúdo

O item anterior nos traz a este: o modelo bilíngue integra melhor o conteúdo, potencializando o ensino de várias disciplinas em inglês. O programa de bilinguismo na escola consegue cumprir as demandas da Base Nacional Comum Curricular, documento que rege o currículo das nossas instituições educacionais, e preparar o(a) jovem para o futuro.

Intensidade

A intensidade é um dos principais pontos que diferenciam o ensino bilíngue, uma vez que a proposta é aumentar a exposição ao idioma estrangeiro na escola, permitindo que o aprendizado de língua materna e inglesa se deem ao mesmo tempo, por várias horas, distribuídas ao longo das disciplinas.

Naturalidade do aprendizado

Se o(a) estudante aprende a sua língua nativa e uma estrangeira, como o inglês, ao mesmo tempo, um dos efeitos positivos é a naturalidade do aprendizado. O(a) aluno(a) utiliza o idioma na vida e não apenas estuda algumas expressões para garantir o boletim azul nas aulas de uma disciplina específica.

Continuidade do diálogo

A naturalidade do diálogo, por sua vez, torna o diálogo em língua estrangeira mais fluido, mais profundo e diverso. Os estudantes têm a chance de conversar em língua durante e após as exposições em sala, vivenciando o aprendizado do idioma entre os professores e os amigos no ambiente escolar.

Por que escolas têm adotado o programa de educação bilíngue?

A instrução de inglês é garantida pela Base Nacional Comum Curricular a partir do 6º ano, o que permite a todos os estudantes ter contato com o bilinguismo. De acordo com a Base, as instituições de ensino devem fomentar competências e conhecimentos sobre a língua inglesa nos alunos desde o Ensino Fundamental até o Médio.

Porém, não basta ter apenas aulas de inglês — uma educação bilíngue traz muitos benefícios à vida de seu(sua) filho(a), uma vez que consegue tornar o aprendizado mais natural com imersão cultural. O resultado: crianças e adolescentes estão melhorando cada vez mais seu nível de expertise em outro idioma.

Neste post, você aprendeu sobre educação bilíngue e aulas de inglês e viu por que os dois programas se diferenciam na escola. Além disso, percebeu como escolas bilíngues conseguem desenvolver o diálogo, integrar os estudantes com o conteúdo, naturalizar o aprendizado de língua estrangeira e melhorar o foco dos jovens.

Agora que você sabe como o modelo bilíngue se diferencia das aulas de inglês e por que apostar em técnicas intensas para seu(sua) filho(a) aprender o idioma ainda na escola, curta a página do Colégio Academia no Facebook e tenha acesso a outras informações sobre educação!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário