agressividade infantil

5 dicas de como lidar com a agressividade infantil e contornar esse problema

Lidar com a agressividade infantil é um desafio para muitos pais. O comportamento gera consequências negativas e pode se manifestar de inúmeras formas e em diferentes idades. Nessa fase, é imprescindível que a família da criança dê atenção e tome algumas atitudes para reverter a situação.

Em todas as etapas de crescimento e desenvolvimento, as crianças inspiram cuidados, sendo fundamental aprender a lidar e identificar o problema assim que surge. Agressões, xingamentos e violência física, por exemplo, são alguns sinais que devem ser tidos como alerta para os pais.

Acompanhe a seguir e confira 5 dicas que auxiliam na educação e a contornar a agressividade infantil. Boa leitura!

Como contornar a agressividade infantil?

Muitos pais vivenciam comportamentos de raiva e ficam sem saber como agir da melhor forma nesses momentos. É fundamental entender que uma criança agressiva apresenta essa reação por não conseguir lidar com algum sentimento ou frustração, ou simplesmente pelo fato de querer chamar atenção da família.

Como os pequenos ainda não sabem se expressar com palavras, sobretudo na primeira infância, eles usam a raiva como forma de serem ouvidos(as) e notados(as). Mesmo assim, é preciso ser firme e ter calma para conversar e entender a criança. Dessa maneira, fica mais simples ajudá-la e transmitir tranquilidade para contornar a situação.

É muito importante, portanto, que o(a) seu(sua) filho(a) tenha espaço e segurança para colocar para fora o que está sentindo em palavras, sem agressividade ou violência. A seguir, listamos 5 dicas que podem auxiliar os pais a entenderem e ajudarem os pequenos a se tornarem mais calmos(as) e conscientes de seus atos. Confira a seguir!

1. Entenda o motivo da irritação da criança

Caso a criança apresente irritação e falta de paciência constantemente para conversar, será preciso identificar o que a leva a agir dessa maneira. A agressividade pode ter inúmeras explicações, como separação dos pais, educação sem limites e regras claras, exposição a situações de estresse e violência física. Independentemente do motivo, as atitudes agressivas devem ser cortadas rapidamente para que a criança não se torne um adolescente ou adulto irritado.

Assim, é imprescindível ensinar o(a) pequeno(a) a utilizar as palavras para exprimir os seus sentimentos e se colocar à disposição para ouvir seus motivos, auxiliando a encontrar uma solução para a situação. Se puder, brinque, dance ou faça qualquer outra atividade de que a criança goste, como desenhar e ler uma história infantil. Tenha em mente que tais ações são fundamentais para dissipar a irritação e a raiva.

2. Ensine a criança a dizer o que está sentindo

As crianças precisam da orientação dos familiares para ajudar a exprimir suas emoções e descontentamentos por meio da comunicação verbal. Muitas vezes, o(a) pequeno(a) quer apenas chamar a atenção por não saber como lidar com seus sentimentos e frustrações, por isso se mantenha sempre atento sob qualquer sinal de agressividade.

Para superar o problema, deixe bem claro que a criança tem liberdade para expressar e descarregar sua raiva fazendo coisas mais úteis, como brincar, dançar ou praticar um esporte. Por meio do diálogo, os pais entram em sintonia com o(a) filho(a), tendo mais chances de aprender um com o outro. Assim, procure dar bons exemplos e trate a criança sempre com carinho e compreensão.

3. Estabeleça regras e limites

Outra dica é estabelecer regras e limites para a criança. Comunique claramente o que não pode ser feito e apresente os motivos, por exemplo, que bater causa dor na outra pessoa. Deixe claro que, caso ele(a) não cumpra com as regras impostas, terá consequências imediatas, como ser proibido(a) de assistir a um desenho ou brincar com os amigos.

Sempre que o(a) pequeno(a) conseguir conter sua agressividade, busque elogiá-lo(a). Isso dará mais motivação para ele(a) continuar se comportando bem e tendo atitudes positivas, de acordo como foi combinado com a família. Demonstrações de atenção e preocupação também são essenciais nesse momento, pois a criança se sentirá acolhida diante da situação.

4. Ofereça um ambiente tranquilo e acolhedor

A família deve estar aberta e se dedicar para oferecer um ambiente tranquilo e acolhedor, sem que a agressividade seja estimulada. Muitos pais, por exemplo, apresentam atitudes violentas sem perceber, sendo hostis, brutos e não tendo paciência com os filhos. No entanto, a criança internaliza esses comportamentos e acaba imitando como os outros agem a seu redor.

Para evitar que o(a) seu(sua) filho(a) internalize as atitudes agressivas, é fundamental que a família mantenha o ambiente tranquilo e calmo. Os pais podem encorajar o(a) pequeno(a) a falar o que sente e pensa, demonstrando sensibilidade e maneiras mais cuidadosas de educar sem estimular a agressividade infantil. 

5. Não exponha a criança à violência

Geralmente, a agressividade é usada pela criança como uma forma de linguagem para extravasar emoções intensas que não são percebidas pelos pais. Isso fica ainda pior quando o(a) pequeno(a) é exposto(a) constantemente às atitudes violentas dentro de casa, pois ele(a) acaba se espelhando nas ações dos outros ao se comportar. 

Como as crianças estão em pleno desenvolvimento cognitivo e corporal, e ainda não têm domínio de seus sentimentos e emoções, é importante ter calma e agir com amorosidade e cuidado. Qualquer tipo de estímulo que incite a violência deve ser cortado de sua rotina o quanto antes, para que a situação não se torne preocupante.

Alguns fatores podem explicar o motivo da irritação precoce, como alimentos ricos em açúcar, programas de televisão violentos, colegas da escola que agem de forma agressiva ou, até mesmo, pais que brigam com frequência em casa. Entender o verdadeiro motivo da raiva é imprescindível para tomar melhores decisões em relação à educação e aos valores da criança.

Se você é pai ou mãe e nota que o(a) seu(sua) filho(a) apresenta esse tipo de comportamento de forma recorrente, é essencial buscar por ajuda profissional o quanto antes. A agressividade infantil é um problema sério e, por isso, deve ser contornada rapidamente para que a criança não cresça e se torne um adulto violento. 

Gostou do conteúdo? Aproveite e siga o Colégio Academia nas redes sociais: Facebook, Instagram, YouTube e Flickr.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.