alimentação saudável na escola

Alimentação saudável na escola: como incentivar seu(sua) filho(a)?

Comer bem é capaz de auxiliar no aprendizado da criança, e esse hábito deve surgir em casa e estender-se a uma alimentação saudável na escola. A ciência já comprovou que crianças bem nutridas e com hábitos equilibrados têm mais facilidade de aprender e, por isso, tornam-se alunos melhores.

A alimentação e nutrição são requisitos básicos na proteção da saúde e possibilitam o crescimento e desenvolvimento humano com qualidade de vida. Por isso, a educação nutricional deve ser um assunto presente na rotina de pais, filhos e escola.

Se você quer saber mais sobre esse tema, continue lendo este post!

Por que é importante buscar uma alimentação saudável para as crianças?

Ao nascer, o principal alimento para o bebê é o leite materno. Segundo o Ministério da Saúde, chás, sucos, água e quaisquer tipos de bebidas são irrelevantes nos 6 primeiros meses de vida. O leite materno é completo e poderoso, pois auxilia na criação do laço de afeto entre mãe e filho(a) e na formação dos sistemas nervoso e imunológico. Porém, passado esse período, é importante começar a inserir comidas saudáveis e balanceadas na rotina das crianças.

A alimentação saudável tem um papel fundamental em toda a vida do ser humano. Contudo, na infância e adolescência, esse assunto deve ser tratado com mais cautela, uma vez que, nessas fases, ocorrem o crescimento, o desenvolvimento de músculos e órgãos e a construção de hábitos no indivíduo. Ou seja, comer bem pode auxiliar na prevenção de doenças, como anemia e obesidade, e no aumento da imunidade.

Ao contrário do que muitos pais pensam, uma alimentação saudável não é difícil nem cara. Com um pouco de organização e cuidado, é possível fazer lanches saudáveis e pratos apetitosos que serão os preferidos da criançada. Por exemplo, prefira utilizar produtos da natureza, como: feijão, arroz, frutas, legumes e sementes. Em porções adequadas, é possível consumir todos os nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo.

Outra tática importante é buscar retardar o contato da criança com produtos industrializados e processados. É inevitável que, em algum momento, ela tenha contato com esse tipo de comidaPorém, se isso se dá de forma tardia, seu paladar já estará voltado à alimentação natural e saudável, e será mais fácil para ela rejeitar aquilo que saia do habitual, como produtos com muitos condimentos e açúcares.

Como incentivar a alimentação saudável na escola?

Essa tarefa é muito mais fácil quando esse hábito vem de casa. Para muitos nutricionistas, a rotina corrida e cansativa dos pais é um dos principais fatores da má alimentação das crianças. Com essa situação, produtos industrializados são as opções mais simples e rápidas e passam a ser um hábito na rotina dos jovens.

Porém, esse cuidado deve existir desde sempre. A partir dos 2 anos de idade, o bebê começa a ter uma alimentação mais parecida com a dos familiares. Nessa fase, ele começa a construir seus hábitos, e os pais devem estimular a participação na hora de elaborar a comida e no próprio ato de comer.

Isso significa que o(a) filho(a) precisa entender a importância da refeição e que isso pode ser reforçado com o auxílio ao preparo do alimento. Além disso, os pais precisam criar rotinas e locais próprios para cada refeição.

A partir dos 5 anos, a criança começa a uma socialização mais intensa, dentro de casa e na escola. Por isso, ela torna-se mais independente e deve começar a escolher o que gostaria de consumir.

Envolvê-la no planejamento das refeições também é um ponto importante. Dê opções, como: “Hoje você prefere levar uma banana ou maçã para a aula?” e “Qual suco você gostaria que eu fizesse para o almoço, caju ou laranja?”. Assim, ficará muito mais fácil para a criança realizar a escolha dentro das várias opções saudáveis existentes.

Além disso, apelar para o lado lúdico também facilita uma alimentação saudável. Crie desenhos e brincadeiras e faça comidas chamativas. Ao entender que a hora da refeição é um momento leve e prazeroso, a criança terá mais facilidade para estender esse hábito para as refeições realizadas na escola.

Quando a criança começa a entrar na adolescência, a alimentação saudável pode ficar prejudicada. Com tantas transformações acontecendo ao mesmo tempo, o comportamento alimentar, certamente, será modificado. Alguns passam a rejeitar lanches de casa e preferem comer na escola, porém, muitas vezes, as opções acabam sendo refrigerantes e salgados.

Proibir nunca é a solução! Os pais devem buscar conscientizar os jovens sobre a importância da alimentação. Ademais, devem estabelecer dias certos para esse tipo de refeição ou controlar a mesada para esse gasto.

A escola contribui muito para a formação da pessoa, por isso ela também pode auxiliar nessa temática, dando aos pais dicas de sugestões de comidas saudáveis, promovendo palestras sobre o tema e criando limitações de certos produtos disponíveis na cantina.

Quais os benefícios desse hábito?

No Brasil, a alimentação das crianças e adolescentes ainda é muito deficitária. O estudo de Riscos Cardiovasculares em Adolescentes, realizado em 2015 pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), apontou que 25,5% dos adolescentes de 12 a 17 anos estão com excesso de peso. Além disso, o Ministério da Saúde verificou que 60,8% das crianças menores de 2 anos já comeram bolachas recheadas.

Esses números são alarmantes, pois mostram como a alimentação infantil é influenciada pela disponibilidade das comidas no mercado e pelas propagandas de TV. Os pais precisam criar hábitos saudáveis na infância para que, depois, os jovens façam essa escolha de forma consciente. É muito mais fácil que uma criança experimente novos sabores do que um adulto, por exemplo.

Crianças gastam muita energia e, por isso, precisam repô-las para suprir os nutrientes necessários para o bom funcionamento do corpo. Ao montarem lancheiras mais saudáveis e coloridas, pais e responsáveis contribuem para o controle da obesidade, crescimento de pele e cabelo, calcificação dos ossos, formação de músculos e órgãos

. O resultado dessa boa alimentação será a prevenção de doenças cardíacas e respiratórias.

Portanto, podemos perceber que a alimentação saudável na escola nasce dentro da casa das crianças. É muito complicado criar esse hábito dentro do colégio se a rotina for diferente em casa. Com um pouco de organização e criatividade, é possível preparar comidas deliciosas e saudáveis, que vão impactar a saúde dos filhos e também a dos pais.

Gostou do nosso texto? Quer receber mais conteúdos como este? Então assine nossa newsletter!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.