o que são atividades lúdicas

Conheça 14 atividades lúdicas para crianças e sua importância

A recente inserção de atividades extras no currículo dos alunos tem sido um tema bastante discutido no âmbito educacional. De fato, provocar estímulos cerebrais por meio das diferentes situações que a vida proporciona pode auxiliar no desenvolvimento cognitivo, desencadeando uma série de benefícios.

Substituir o modelo tradicional de ensino, cujas práticas educacionais proporcionam momentos de tensão aos alunos, ou agregar a esse padrão atividades lúdicas para crianças tem se mostrado uma alternativa muito incentivadora. Contudo, a participação das famílias é indispensável para obter êxito nesse processo.

Quer entender mais sobre o que são atividades lúdicas? Então continue a leitura deste texto. Selecionamos algumas informações importantes que vão ajudar a escolher as melhores para o(a) seu(sua) filho(a). Confira!

Saiba o que são atividades lúdicas

Para muitas pessoas, as atividades lúdicas são vistas apenas como “brincadeiras”. Embora seja verdade, essa não é a definição primordial dessa estratégia. Afinal, nem todo o tipo de brincadeira tem cunho educacional.

Em linhas gerais, podem ser consideradas atividades lúdicas aquelas que têm por objetivo promover a interação entre os participantes de forma prazerosa durante sua realização. Contudo, a prática escolhida precisa ter um objetivo claro para que eles possam ser direcionados corretamente e obter o aprendizado desejado.

Entenda a sua importância para o desenvolvimento infantil

Agora que você já sabe o que são atividades lúdicas, é hora de entender a sua importância para o desenvolvimento de habilidades essenciais. Algumas delas são:

  • coordenação motora;
  • comunicação;
  • raciocínio lógico;
  • percepção do espaço;
  • consciência corporal;
  • linguagem;
  • criatividade;
  • imaginação;
  • memorização;
  • familiaridade com números;
  • gosto pela leitura;
  • empatia.

O uso das atividades lúdicas em sala de aula transcende a mera prática das brincadeiras, devendo ter como finalidade o aprendizado e o desenvolvimento cognitivo, embora sem o peso estressante dos modos convencionais de ensino. Sendo assim, escolher uma escola que trabalhe a educação interativa é fundamental.

Conheça 14 atividades lúdicas para crianças

Até aqui, vimos toda a importância das atividades lúdicas para o aprendizado das crianças. Elas devem, portanto, estar presentes no dia a dia de nossos pequenos, tanto no ambiente escolar quanto fora dele.

É perfeitamente possível trazer as brincadeiras lúdicas para fora da sala de aula. Esse tipo de atividade é muito interessante e pode, inclusive, transformar-se em um ótimo e divertido momento em família, estreitando os laços de todo o núcleo familiar.

Veja, a seguir, alguns exemplos de dinâmicas que podem ser desenvolvidas em sala de aula e fora dela.

1. Pintura

A pintura é uma atividade lúdica bastante completa. Por meio dela, a criança consegue desenvolver tanto a coordenação motora quanto a criatividade. Afinal, “fazer arte” é uma das coisas que os pequenos mais gostam.

Outro ponto de destaque é a quantidade de materiais diferentes que podem ser utilizados, permitindo que o exercício nunca seja repetitivo. Tinta guache, lápis de cor e giz de cera: tudo isso é usado para estimular o aprendizado das crianças.

Uma ação interessante é a pintura de sopro, por exemplo. Os participantes devem fazer um desenho assoprando a tinta por meio de um canudinho — a bagunça e o aprendizado estão garantidos!

É bom lembrar que a prática da pintura exige um preparo do espaço para acontecer da melhor maneira possível. Propor exercícios que envolvam a liberdade criativa das crianças cerceando-as quanto a manchas nas mesas e no chão, por exemplo, limita o retorno dessas atividades. Assim, escolha um local apropriado para essa finalidade e adapte-o, pois a sujeira faz parte do processo.

2. Leitura

O desenvolvimento do hábito da leitura deve ser algo estimulado logo na primeira infância, sendo responsabilidade de pais e educadores. Na escola, a criação de rodas de leitura é uma ótima forma de interação entre a classe, com a discussão posterior sobre a obra estudada.

Já em casa, pode ser estimulado como uma tradição familiar. A leitura antes de dormir é um bom exemplo disso. Os pais também podem criar um cantinho reservado para o contato da criança com seus livros. Ler é uma atividade que traz inúmeros benefícios e, quanto antes o hábito for desenvolvido, melhor. Isso fará grande diferença no desempenho acadêmico do(a) seu(sua) filho(a) no futuro.

3. Jogos de tabuleiro

Assim como a criatividade e a imaginação, o desenvolvimento do raciocínio lógico é essencial para o indivíduo se sentir completo. Jogos de tabuleiro desafiam a capacidade de síntese e organização, fazendo com que o cérebro se desenvolva para abarcar toda a experiência de funcionamento daquilo que se coloca no entorno.

Eles podem ser também grandes aliados do ensino das ciências exatas. Quando o cérebro é desafiado desde a mais tenra idade, a criança se acostuma com a resolução de problemas e os exercícios matemáticos, entre outras atividades igualmente desafiadoras.

4. Oficinas

As oficinas lúdicas podem unir brincadeira, criatividade e exploração em uma atividade só. Além disso, permitem que as crianças, desde mais novas, interajam e aprendam com os adultos — o que fortalece as trocas afetivas e o desenvolvimento intelectual.

Esse trabalho permite mobilizar diversos assuntos em pouco tempo de ação, por isso é bastante estimulante para aqueles que participam. A oficina pode envolver, por exemplo, objetos usados no dia a dia, a produção de tinta ou massa de modelar com alimentos, como gelatinas e legumes, ou mesmo um contato maior com coisas simples, como terra, água ou areia.

5. Circuitos lúdicos

Um circuito de atividades lúdicas promove diversas experiências distintas em um mesmo dia de brincadeiras. As crianças podem explorar espaços novos e conhecer seu próprio corpo e suas limitações. Além disso, juntar atividades variadas ajuda no desenvolvimento cognitivo, psicomotor, social e afetivo.

O principal ponto da elaboração de um circuito lúdico é oferecer às crianças atividades em espaços externos, de preferência, a fim de promover o desenvolvimento de movimentos, equilíbrio, resistência, flexibilidade e muitos outros pontos. Quando é realizado com um grande grupo de crianças, o espírito de equipe proporciona a aceitação de todas.

6. Gincanas

Assim como os circuitos lúdicos, as gincanas podem estimular diversas aprendizagens enquanto as crianças brincam e se divertem. Para evitar a dispersão dos pequenos — muito comum quando eles estão organizados em grupos grandes —, é recomendável que elas sejam compostas por provas simples e dinâmicas, garantindo um cumprimento rápido.

Elas podem ser realizadas na escola ou em casa, junto aos familiares, e compostas de brincadeiras antigas. Esse resgate recupera o tempo que as crianças em geral dedicam a aparelhos eletrônicos e os substituem por atividades em grupo.

Algumas sugestões de atividades simples para compor as gincanas são: pé de lata (quando as crianças andam sobre latas amarradas com barbantes), corrida de tinta ou algodão assoprados por canudo, rosquear tampas de diferentes embalagens, pescaria de cubos de gelo e muito mais.

O trabalho do educador em jogos desse tipo é o de ressaltar qualidades como espírito de equipe e criar expedientes educativos para evitar que a competitividade excessiva tome conta das crianças.

7. Acampamento

Qual criança nunca sonhou em acampar? Essa é, inclusive, uma realidade para muitos adultos que não tiveram a oportunidade de realizar esse desejo em sua infância. Então, por que não juntar o útil ao agradável e fazer uma brincadeira divertida para todas as faixas etárias?

Na escola, em casa ou, até mesmo, no campo, brincar de acampar é muito divertido e pode ensinar muitas coisas diferentes. Assim, a criança entra em contato com novas experiências sensoriais, e essa é uma oportunidade interessante para unir diversas atividades em uma só: leitura, mímica, gastronomia, ciências, entre outras.

8. Brincadeiras

As brincadeiras são uma ótima escolha para ensinar as crianças de maneira mais divertida. São justamente as atitudes simples que transmitem lições, como esperar a vez para jogar, respeitar as regras ou saber lidar com a frustração de uma eventual derrota.

Além disso, as brincadeiras como pique-esconde ou de adivinhação estimulam o pensamento rápido, a atenção e a concentração.

Elas ainda ajudam no desenvolvimento da autoestima dos pequenos e incentivam a construção de emoções e pensamentos novos. Contudo, é sempre importante observar o comportamento de cada um, de forma a reparar se todos estão se divertindo e aprendendo enquanto brincam.

9. Fantoches

Um teatro de fantoches com contação de histórias estimula a construção da identidade de cada criança a partir do momento em que ela experimenta diversos personagens, com emoções e vidas diferentes. Os bonecos, inclusive, são uma válvula de escape para o que cada um pode estar sentindo naquele momento.

Em outras palavras, assim como acontece nas aulas de teatro, as histórias contadas com bonecos servem para propósitos distintos: um exercício criativo de criar a partir das realidades vividas por cada aluno(a) e uma forma de extravasar problemas individuais, revelando aspectos importantes da psicologia dos estudantes.

Além disso, os fantoches podem ser criados pelas próprias crianças com materiais baratos ou reciclados, o que também incentiva os debates sobre o tema da sustentabilidade. Os bonecos podem usados nas aulas tradicionais da educação infantil, de forma a fixar conceitos aprendidos na sala de aula, como amizade e solidariedade.

10. Quebra-cabeças

Montar uma imagem com peças soltas e dispostas aleatoriamente é um excelente exercício lógico e imagético. Ao contrário do que pode parecer, os quebra-cabeças não se destinam apenas a crianças mais novas.

Existem modelos com grande número de peças, os quais podem levar dias para serem montados. Há, ainda, variações desse jogo que misturam diferentes propostas, como peças presas em estruturas de madeira e que devem ser movidas para formar a imagem.

Os quebra-cabeças estimulam a paciência, a articulação lógica e os atributos visuais dos pequenos. São, em todos os sentidos, um estímulo aos atributos intelectuais, sobretudo dos estudantes menores.

Além disso, treinam a capacidade de concentração e a noção de espaço, bem como desenvolvem física e neurologicamente as crianças. Suas habilidades psicomotoras e a percepção visual também são treinadas.

11. Massinha

Brincar com massa de modelar ajuda no desenvolvimento intelectual, gerando maior capacidade criativa. A massinha é naturalmente atrativa para as crianças e uma das atividades que mais conseguem mantê-las entretidas. Embora também demandem o preparo do local para sua utilização, elas são diferentes da prática da pintura, que gera muita sujeira.

O educador pode incluir a massinha em aulas de outras disciplinas que não a de Artes, estimulando as crianças a criarem relevos para a aula de Geografia ou estruturas de insetos e outros bichos estudados na Biologia.

12. Esculturas

A realização de esculturas é, além de divertida, uma ótima forma de fazer a criança exercitar a sua criatividade e imaginação e entrar em contato com as formas. Essa atividade é importante para desenvolver a consciência corporal e a noção de espaço nos pequenos.

Elas podem ser feitas com o uso das massinhas de modelar, mencionadas em nosso tópico anterior, ou outros tipos de material. A argila é um exemplo prático e barato, que costume divertir bastante a criançada.

13. Mímica

Dependendo da idade, imitar é algo natural para as crianças. Em brincadeiras de mímica, no entanto, é necessário apurar os gestos e ter o cuidado de transmitir uma intenção a quem deve adivinhar o que se está imitando. A descrição das atividades por quem vai adivinhar também deve ser apurada, melhorando o uso da linguagem.

Estimular a expressão corporal é algo inestimável para as crianças, uma vez que pode ajudá-las a compreender e aceitar o próprio corpo, além de entendê-lo como um recurso expressivo poderoso.

Essa atividade, além de prazerosa e divertida para os pequenos, ajuda a acabar com a timidez e amplia os horizontes da comunicação interpessoal. Os gestos são ótimas maneiras de melhorar a coordenação motora.

14. Dança

Por fim, não podemos deixar de falar sobre a dança. Utilizá-la no ambiente escolar é uma ótima maneira de desenvolver a coordenação motora, a linguagem corporal e a autoconsciência.

Essa é uma prática a ser incluída nas mais diversas atividades, promovendo não só uma atividade física, mas também um enriquecimento cultural interessantíssimo para o dia a dia dos estudantes. Além disso, o teatro pode ser utilizado de forma interessante.

Agora você já sabe o que são atividades lúdicas para crianças e adolescentes. Trata-se de uma forma divertida de exposição ao conhecimento. Ao ter contato com esse tipo diferenciado de processo de ensino, a criança aprende sem o peso emocional de saber que está sendo avaliada.

Dessa forma, toda a pressão que incide sobre os métodos tradicionais de ensino-aprendizagem cessa, e passa a ser construída uma atmosfera de saber fundada sobre um ambiente de calma e segurança.

Gostou de saber um pouco mais sobre as atividades lúdicas? Então entenda como a música, o poema e a poesia podem ajudar na alfabetização das crianças!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.