aula de reforço

Aula de reforço é mesmo necessária para o seu filho? Descubra!

A aula de reforço é uma medida que gera muitas dúvidas, tanto nos pais quanto nos estudantes. Quando será que é realmente necessário investir nessa estratégia? Quais são os critérios para tomar essa decisão?

Essa escolha não é uma “receita de bolo”. É fundamental levar em consideração as características do(a) seu(sua) filho(a), a fim de determinar o que é melhor para ele(a). E, para que você saiba o que deve ser considerado, preparamos este artigo!

Ao longo da leitura, você descobrirá o que é um reforço escolar, como ele funciona e como perceber se é ou não o momento certo de colocá-lo na rotina de estudos das crianças e adolescentes. Vamos lá?

O que é um reforço escolar?

São aulas extras para ajudar a criança ou o adolescente a compreender certos temas que, por algum motivo, não ficaram assim tão claros durante as aulas regulares.

Como funcionam essas aulas?

Depende. Alguns professores abordam o conteúdo de maneira mais prática, enquanto outros preferem uma abordagem teórica. No entanto, o objetivo é sempre o mesmo: discutir um determinado assunto com os alunos, a fim de tirar as suas dúvidas e ensiná-los o conteúdo.

Quais são as vantagens de investir nas aulas de reforço?

As aulas de reforço são uma ótima estratégia a ser considerada quando o desempenho dos nossos filhos não está tão bom em uma determinada matéria. Eles podem ter dúvidas pontuais sobre um assunto ou dificuldades reais naquela disciplina e, em ambos os casos, o reforço é super indicado.

Quais são os sinais de que o reforço pode ser necessário?

Alguns indicativos de que é a hora de investir em uma aula de reforço são:

  • notas baixas;
  • dificuldade em compreender certos assuntos de uma matéria por problemas em um conteúdo anterior;
  • dificuldade de aprendizado generalizada em uma disciplina;
  • perda de conteúdo por motivos de doença ou ausência escolar.

Como saber se a aula de reforço é ou não necessária?

Agora, veremos algumas dicas que vão ajudá-lo a tomar essa decisão!

Converse com o(a) seu(sua) filho(a)

O primeiro passo é realmente conversar com a criança ou adolescente sobre a situação. Entender que há um problema de aprendizagem é fundamental para que ações possam ser tomadas, sejam elas alterações no ambiente familiar, no âmbito escolar ou a inclusão dos reforços na rotina.

Tente identificar a raiz do problema

Por que o problema está acontecendo? As dificuldades de aprendizagem são acumulativas e tendem a virar uma bola de neve. Então, tente descobrir o cerne da questão para cortar o mal pela raiz e, assim, promover um melhor desempenho do estudante na escola.

Discuta o assunto com os professores

O último passo é levar o assunto para os professores ou coordenadores do colégio. Juntos, discutam sobre as suas impressões e vejam o que pode ser feito. Caso o reforço seja a melhor alternativa, eles certamente farão essa orientação a você e ao(a) seu(sua) filho(a).

Agora que você já sabe o que é uma aula de reforço escolar, como ela funciona e quais são os pontos a considerar na hora de investir nesse recurso, não perca mais tempo. Se necessário, agende uma conversa com a equipe pedagógica responsável pelo(a) seu(sua) filho(a) e tire as suas dúvidas!

Aproveite e confira outro artigo do blog do Colégio Academia e aprenda como ajudar os seus filhos a estudar para a recuperação escolar!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.