viagem escolar

Como a viagem escolar pode contribuir no aprendizado de seu(sua) filho(a)?

O educador Rubem Alves disse, certa vez, que “todo saber deve ser saboroso”. Ele tem toda razão. Afinal, quando o(a) aluno(a) absorve o conteúdo por meio de metodologias mais leves e divertidas, com toda certeza, a assimilação será muito mais profunda. Nesse sentido, a viagem escolar é desenvolvida, justamente, na missão de proporcionar um ensino mais prático e também mais saboroso.

Por meio dela, o(a) estudante terá uma experiência única de vivenciar um aprendizado progressista, que consiste em entender na prática determinado conteúdo. Por exemplo: supondo que um professor ministre uma aula de história falando sobre a colonização do Brasil, pode ser que o(a) aluno(a) entenda os principais pontos por meio dos exercícios e da explicação.

Contudo, levá-lo(a) até lugares onde ainda se encontram as memórias desse período faz com que ele(ela) possa compreender, de fato, o conteúdo. Isso ocorre, pois, durante a vivência nesses lugares, o(a) estudante terá contato com museus, arquitetura e história da cidade.

Ou seja, terá um aprendizado além dos muros da escola e verá de perto um pouco do que ocorreu no passado. Isso gera uma memória muito mais duradoura e efetiva do que uma aula tradicional. Entenda melhor!

Viagem escolar: saiba como essa vivência pode impactar o(a) estudante

“É importante salientar que o espaço de aprendizagem não se restringe à escola, sendo necessário propor atividades que ocorram fora dela. A programação deve contar com passeios, excursões, teatro, cinema, visitas a fábricas, marcenarias, padarias, enfim, com as possibilidades existentes em cada local e as necessidades de realização do trabalho escolar”, diz a pesquisadora Priscila Loro Milan (BRASIL, 2000, p.103).

A viagem escolar, além de proporcionar o conhecimento mais abrangente em relação ao conteúdo, é reconhecida por impactar de forma positiva os(as) alunos(as). Confira quais são esses impactos!

Desenvolve novas habilidades

Ir além dos muros escolares e observar o mundo por meio de alteridade. Isso faz com que o(a) estudante crie novas habilidades que podem ser aproveitadas tanto para a sua vida pessoal como acadêmica: empatia, observação, quebra de preconceitos, assimilação mais concreta do mundo. Tudo isso proporcionado pela viagem são ganhos muito positivos para qualquer pessoa.

A pesquisadora Priscila Loro Milan explica de forma mais enfática a contribuição do turismo pedagógico: “Sua importância está no fato de se constituir em uma fonte de enriquecimento cultural e pedagógico que proporciona ao(à) aluno(a) uma vivência única, pois permite tornar o aprendizado mais rápido e eficaz, além de estimular o desenvolvimento de uma visão crítica sobre o mundo que o cerca”.

Promove o senso crítico

As teorias encontradas em livros são fundamentais para o ensino, não há dúvida. No entanto, elas podem ser aprofundadas ou até mesmo questionadas em uma experiência como a viagem escolar.

Ocorre que, em uma experiência como essa, o(a) aluno(a) se torna um(uma) “pesquisador(a)” que vai a campo confirmar ou não o que aprendeu nas teorias. Essa vivência faz com que ele(ela) consiga desenvolver interpretações e conquistar um senso crítico mais apurado.

Aumenta a participação do(a) aluno(a)

O engajamento dos(as) estudantes aumenta consideravelmente durante uma viagem. Afinal, eles acabam saindo da rotina, se sentindo animados e curiosos para viver algo diferente. Com isso, as aulas contam muito mais com a participação espontânea deles.

Entenda quais são os benefícios de viajar para aprender

Já falamos sobre como a viagem escolar pode gerar impactos positivos para o(a) aluno(a). Para que os pais compreendam melhor o motivo de a escola desenvolver esse tipo de atividade, selecionamos alguns benefícios que ela oferece. Confira!

União do aprendizado com diversão

A viagem educativa (ou escolar) é diferente do passeio. Geralmente, o passeio escolar tem apenas como finalidade promover um momento de lazer. Já a viagem tem uma abordagem pedagógica muito forte, só que isso não significa que ela também não possa proporcionar diversão.

Na verdade, quando bem planejada, ela pode conciliar tanto o aprendizado quanto a diversão. A união dessas duas questões pode ser tão bem organizada e efetiva que o(a) aluno(a) pode pensar, à primeira vista, que está apenas se divertindo.

Aprendizado interdisciplinar

Uma vantagem muito importante da viagem é que ela pode ser planejada para o estudo de diversas disciplinas. Exemplificando: uma viagem pode ser programada tanto para aprender sobre a história de determinada cidade quanto para descobrir mais sobre a sua geografia. Nesse sentido, a escola faz com que uma única oportunidade possa explorar diversas áreas do conhecimento.

Autoconhecimento e independência

Mesmo que, durante a viagem, haja sempre acompanhamento dos responsáveis, é muito possível que os(as) alunos(as) usufruam dessa experiência para aprender mais sobre si mesmos(as). Isso ocorre pois, geralmente, as viagens escolares são as primeiras longe da família. Sendo assim, é uma experiência nova, na qual o(a) estudante terá momentos de reflexão e também de independência.

Melhora as relações sociais

As viagens promovidas pelas escolas também fazem com que haja uma melhora significativa nas relações pessoais. Muitas vezes, dentro da sala de aula, as crianças e adolescentes costumam criar grupos e se fechar para as novas possibilidades de amizades. Mudar isso pode ser um pouco difícil, por conta da rotina e do cronograma escolar.

No entanto, na viagem, como há uma quebra da rotina, isso pode ser feito de forma mais natural. Geralmente, a experiência fora do colégio permite que as crianças ou adolescentes consigam ter mais aproximação, se comuniquem mais entre si e até façam novas amizades. Certamente, esse fato pode impactar positivamente as suas relações pessoais tanto na escola quanto na vida cotidiana.

Diante das questões apresentadas, podemos concluir que a viagem escolar é uma atividade enriquecedora, que vai além da metodologia tradicional e que mostra para os(as) estudantes que eles podem aprender de forma diferente, sendo pesquisadores. Como mencionou o educador Paulo Freire, “ensinar não é transferir conhecimento, mas criar possibilidades para a sua produção ou a sua construção”.

Agora que você já sabe qual a finalidade e a importância da viagem escolar, que tal ficar por dentro de outros assuntos escolares? Curta a nossa página no Facebook. Por lá, você poderá acompanhar os nossos artigos completos sobre educação, vida escolar muito mais!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.