incentivar a leitura

Como e por que estimular a leitura desde a infância?

Ler é uma atividade prazerosa capaz de nos levar a um mundo fantástico. Estimular a leitura desde a infância é a principal ferramenta para o desenvolvimento intelectual de uma criança. Desenvolver esse hábito é importante, pois ele auxilia no aprendizado escolar e na integração com outras crianças.

As experiências vividas pelas crianças influenciam no seu desenvolvimento. Todas as descobertas e vivências desempenham um papel importante na constituição do indivíduo, e a leitura é uma delas. Essa prática contribui para a alfabetização e formação do vocabulário dos(as) jovens.

Então, quer saber como incentivar a leitura na infância e em outras fases da vida do(a) seu(sua) filho(a)? Confira o artigo e saiba mais!

A importância da leitura no desenvolvimento da criança

O hábito da leitura deve começar com os pais, que precisam criar rotinas e momentos certos para essa atividade. É recomendado, inclusive, que mães leiam para o(a) filho(a) enquanto elas estiverem grávidas. Esse momento colabora para que o bebê reconheça a voz da mãe e crie laços emocionais com ela.

Aprender a ler é uma constante progressão no desenvolvimento da criança. Por esse motivo, existem diversos livros e cada um deles tem faixas etárias sugeridas. A melhor idade para começar a estimular a leitura é na primeira infância, por volta dos 3 anos.

Mesmo não estando na fase da alfabetização escolar, as crianças já têm experiências sensoriais e cognitivas significativas para compreenderem o mundo que as cerca. Assim, livros com muitas cores, desenhos, fantoches e elementos lúdicos são interessantes para desenvolver o raciocínio dos pequenos leitores.

Pais e professores também podem fomentar a curiosidade e leitura das crianças criando brincadeiras com perguntas como: ”Qual o nome dessa cor?”, “Qual é o nome desse animal?”, “Onde ele vive?” etc.

Esses estímulos cognitivos desempenham um papel fundamental na formação das capacidades cerebrais e habilidades mentais, que acompanharão a criança por toda a vida. Crianças são curiosas por natureza, e utilizar essa curiosidade na leitura é um diferencial para prender a atenção delas.

Procure sempre dar o livro na mão do(a) seu(sua) filho(a) e deixá-lo(a) brincar e entender aquele objeto. Além disso, aponte para os personagens enquanto lê a história. Essas referências o(a) ajudarão a entender o que a história conta e quais são o papel e a figura dos personagens.

Além disso, procure reforçar com exemplo como a leitura é importante. Filhos(as) que veem pais lendo imitam o ato, mesmo sem saber o que ele significa. Outro fator importante, que deve partir dos pais, é a supervisão do uso da tecnologia desde cedo. O uso de celulares e tablets deve ser acompanhado pelos pais, pois esse recurso acaba sendo mais atraente para a criança do que um livro.

Portanto, crianças que têm contato com livros desde a primeira infância apresentam maior facilidade em absorver os conteúdos escolares, desenvolvem a memória, raciocínio e criatividade, além de manter o interesse pela leitura durante a vida, aprimorando escrita e vocabulário ao longo dos estudos.

5 dicas para incentivar a leitura desde a infância

Pediatras e psicopedagogos afirmam que crianças que chegam ao processo de alfabetização escolar com um fundamento construído a partir dos 3 anos têm maiores chances de alcançar sucesso e aprofundar o aprendizado de novas habilidades. Essas crianças dificilmente encontrarão dificuldade na vida escolar ou em novas atividades.

Veja algumas dicas para fomentar a leitura:

1. Escolha livros adequados a cada faixa etária

Como já explicamos, é importante escolher livros certos para cada idade. De 0 a 3 anos, por exemplo, opte por livros com materiais manuseáveis, como plástico e pano. Além disso, o conteúdo deve ser, prioritariamente, com gravuras e texturas.

Dos 3 aos 6 anos, os pequenos já têm contato com palavras na pré-escola e conseguem identificar algumas letras e formas. O estímulo em casa é importante para que o aprendizado seja realizado em conjunto com a escola. Os livros podem conter ilustrações, breves enredos e a repetição de palavras, para que elas sejam fixadas na mente dos leitores.

Dos 6 aos 8 anos, as crianças já iniciaram o aprendizado da leitura e escrita, mas as ilustrações ainda são importantes, pois captam o interesse e ajudam na compreensão da história. Essa é uma boa fase para inserir histórias em quadrinhos, que são ilustradas e têm diálogos breves e simples.

A partir dos 9 anos, a criança já consegue ler textos maiores e mais densos, interpretando e identificando diferentes estilos linguísticos. As imagens começam a aparecer com menos incidência e cada jovem começará a traçar sua personalidade e preferências.

2. Torne a leitura um hábito

Como qualquer outra atividade, a leitura é um hábito. As crianças passam por fases difíceis, em que não querem comer, tomar banho ou ler. Por isso, pais precisam ser persistentes até que essa atividade se torne parte da rotina dos pequenos.

A leitura não deve ser imposta, mas a criança precisa entender os motivos pelos quais é importante ler. Destine pelo menos alguns minutos do dia para a leitura e perceba que, com o tempo, será a criança quem pedirá por uma nova história.

Um bom horário para ler para o(a) filho(a) é antes de dormir. A criança já estará calma e pronta para descansar, e a história será um momento de relaxamento e imaginação. Procure ler interpretando e faça vozes para cada personagem — certamente, a criança ficará fascinada por essa apresentação.

3. Visite bibliotecas e livrarias

Outra forma de impulsionar a leitura em crianças é visitando bibliotecas e livrarias. Diferentemente dos passeios tradicionais feitos pelas famílias, essas visitas abrem uma porta de conhecimento para os pequenos que se deparam com um novo mundo de possibilidades.

Muitas livrarias têm cantinhos de leitura, atividades lúdicas e de contação de histórias que despertam o interesse desse público. Além disso, tal hábito ajuda a valorizar a importância dos livros de papel e mostra para a criança como esse mundo funciona.

4. Monte um cantinho de leitura

Criar espaços, dentro de casa, destinados à leitura também facilita o seu estímulo. Procure encontrar um lugar calmo e confortável, no qual a criança tenha acesso aos livros e a uma iluminação adequada.

O cantinho pode ser no próprio quarto da criança ou no escritório da família. Com alguns paletes e almofadas, é possível criar um local confortável e tranquilo.

5. Mostre que a leitura vai além dos livros

A leitura nasce nos livros, mas ela se espalha pelo cotidiano da criança. Leia placas nas ruas, rótulos dos alimentos e informações na TV para as crianças. Assim, elas começarão a se acostumar com fonemas e formas de palavras e farão conexões sempre que chegarem à sala de aula ou lerem um novo livro.

Outra forma legal de fazer esse estímulo é mostrar que a leitura se conecta com outras áreas, por meio de obras cinematográficas ou televisivas inspiradas em livros. Preparem a pipoca e se divirtam!

6. Faça uso da tecnologia

Ainda que livros físicos sejam um verdadeiro tesouro, o uso da tecnologia pode ser igualmente vantajoso para quem quer praticar o hábito da leitura. E isso, claro, é muito válido também para as crianças. Investir em leitores de livros economiza dinheiro e espaço tornando a leitura ainda mais portátil.

E isso não é tudo! A leitura também pode ser estimulada a partir de joguinhos para smartphone e muito mais. Use a sua criatividade.

7. Tenha a certeza de que o momento seja prazeroso

Ninguém gosta de fazer atividades de maneira forçada. Por isso, faça com que o momento da leitura seja algo prazeroso e estimulante para a criança, e não apenas uma tarefa que ela deve concluir todos os dias.

Caso ela não queria ler um dia, não tem problema. Busque formas de incentivá-la no dia seguinte e esteja sempre presente. Caso esse seja um momento familiar, é bem mais provável que ele seja antecipado pelos pequenos!

8. Leiam a mesma obra juntos

Quando estamos falando sobre crianças um pouco mais velhas e que conseguem ler as suas obras sozinhas, uma boa maneira de construir esse incentivo é, sem dúvida, ler os mesmos livros que elas.

Estipulem uma meta (por exemplo, dois capítulos por semana) e, ao fim do prazo, se reúnam para comentar o livro e discutir os seus significados. Spoilers são terminantemente proibidos e o clube do livro familiar fará com que todo mundo se engaje nessa atividade.

9. Diversifique os gêneros literários

Uma das principais vantagens da leitura está na possibilidade de explorar diferentes realidades, entrar na mente de pessoas completamente diversas e viajar o mundo todo. Mas isso não é tudo. Outro benefício é poder viver experiências em gêneros literários diferentes.

Por isso, não fique apenas nos romances de época ou nas tragédias shakespearianas. Varie! Faça leituras temáticas, como: autoras mulheres, literatura negra, obras asiáticas etc. Assim, a diversidade se torna parte do dia a dia do(a) seu(sua) filho(a).

10. Promova atividades a partir das leituras

Essa é uma dica que vale mais para os pequeninos, mas que pode ser um grande sucesso para crianças de qualquer idade (e até mesmo para os adolescentes mais artísticos): promova atividades a partir da leitura!

Que tal, por exemplo, organizarem uma peça de teatro baseada no livro que foi lido? Ou sugerir que uma redação ou desenho sejam feitos? Todas essas técnicas servem tanto para treinar outras habilidades quanto para ser um engajamento extra para a leitura. Sem contar que pode ser um programão em família, não é mesmo?

Benefícios da leitura

A leitura traz diversos benefícios às crianças. Conheça alguns deles:

  • vocabulário mais rico;
  • cérebro mais saudável;
  • bom humor;
  • diversão;
  • liberdade e criatividade;
  • autoestima;
  • fortalecimento do vínculo com os pais;
  • poder de análise e crítica;
  • desenvolvimento da linguagem oral;
  • melhora na qualidade do sono;
  • desenvolvimento da atenção e concentração;
  • estímulo da curiosidade.

Esses, é claro, são apenas alguns dos benefícios trazidos pela leitura na infância. Eles permanecem na vida adulta e promovem a formação de cidadãos mais conscientes, empáticos e aptos a conviver em sociedade.

Assim, incentivar a leitura é uma longa tarefa, que deve começar a ser construída desde cedo. Os pais são os principais responsáveis pelo estímulo e precisam criar hábitos e rotinas que auxiliem nessa missão.

E, claro, esse estímulo também é uma responsabilidade do núcleo educacional da vida da criança. Por isso, fique por dentro de nossos diferenciais e conheça muitas outras dicas e informações sobre educação em nossa página no Facebook!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.