como escolher uma profissão

Como escolher uma profissão: 4 dicas para você ajudar o(a) seu(sua) filho(a)

Decidir a graduação não é uma tarefa simples, ainda mais para adolescentes, que ainda têm dúvidas sobre o futuro e qual caminho seguir. Os pais podem orientar como escolher uma profissão de maneira sábia e considerando aspectos que são realmente importantes.

Muitos fatores influenciam essa decisão, como habilidades adquiridas, mercado de trabalho, dinheiro, influências da família, professores e amigos, entre outros. Por isso, os estudantes podem ficar perdidos em meio a tantas alternativas, sendo difícil encontrar o caminho certo.

Neste artigo, mostraremos os desafios ao escolher uma profissão e como os pais podem ser importantes nesse momento. Além disso, mostraremos alguns cuidados que devem ser observados no período. Confira!

Os desafios ao escolher uma profissão

Você já sabia tudo o que gostaria de ser quando tinha 17 anos? É provável que a resposta seja negativa. Nessa idade, ainda se tem uma formação emocional incompleta, sendo difícil definir uma profissão. Por isso, a existência de dúvidas sobre qual caminho escolher é comum entre os estudantes.

Alguns fatores ajudam a explicar essa indecisão. São inúmeras alternativas e profissões diversas — e encontrar uma que se encaixe exatamente com os gostos e anseios não é fácil. A influência dos pais, colegas e professores também confunde os adolescentes, que não sabem qual conselho ouvir ou como encontrar o seu ponto forte. 

Além disso, a dúvida sobre a escolha gera ansiedade e medo de tomar a decisão errada. Os estudantes tendem a pensar que, depois de decidir, nada mais pode ser transformado. Muitas vezes essa não é a realidade, pois novas habilidades são descobertas e o caminho profissional passa por transformações.

A importância dos pais nesse momento

Dentro desse contexto, os pais desempenham papel fundamental, seja para o lado negativo ou positivo. Quando eles se colocam como parceiros, dispostos a dialogar e orientar os filhos, contribuem para facilitar a decisão e tornam o processo mais tranquilo.

Por outro lado, quando a família tenta forçar os filhos a escolher determinada profissão, a decisão é dificultada. Nesse momento, os adolescentes se sentem pressionados a escolher o que os pais querem, pois têm medo de decepcioná-los.

Também é possível que os filhos se posicionem contrários à sugestão de seus responsáveis, o que pode provocar discussões e pressão para que mudem de ideia. Essa dinâmica não é saudável para os estudantes, que podem sentir a pressão e não conseguir bons resultados nos vestibulares.

Dicas para orientar como escolher uma profissão

Na sequência, selecionamos alguns cuidados que os pais devem tomar para facilitar e orientar seus filhos na hora de escolher uma profissão. Confira nossas sugestões!

1. Conheça os interesses do seu(sua) filho(a)

Uma parte importante da escolha está em saber quais são os interesses e habilidades naturais do(a) seu(sua) filho(a). É normal que os adolescentes não tenham tanta percepção de seus pontos fortes e fracos, mas com a ajuda da família podem detectar as áreas de destaque.

Desde cedo comece a conversar sobre o assunto, descobrir quais são as disciplinas de maior interesse. Isso facilita a decisão, pois, ao perceber que o(a) adolescente prefere conteúdos ligados à área de exatas, por exemplo, é possível direcionar a pesquisa para as profissões relacionadas.

Essa é uma forma de conseguir um ponto de partida para a decisão. Do mesmo modo que é possível encontrar profissões que se encaixam no perfil, é fácil descartar outras alternativas, diminuindo o leque.

2. Estimule a autonomia e a independência nas escolhas

A habilidade para tomar decisões conscientes e responsáveis está relacionada a aspectos como independência e segurança, por isso busque trabalhar essas características no seu(sua) filho(a) desde a infância. Deixar a criança escolher a roupa, por exemplo, é uma forma de tornar o processo decisório natural para ela.

Agindo assim, quando chegar o momento de selecionar um curso, seu(sua) filho(a) já terá armazenado referências suficientes sobre o que deve ser feito antes de tomar uma decisão. Por outro lado, quando a criança cresce em um ambiente em que tudo é solucionado pelos pais, inconscientemente se acostuma a esse padrão, passando a reproduzi-lo.

3. Incentive e apoie as decisões

Seja qual for a escolha, seu(sua) filho(a) precisa sentir que tem o apoio dos pais. Independentemente da profissão escolhida, é normal que dúvidas venham no futuro, porém se ele(ela) souber que conta com o apoio emocional e moral da família, conseguirá superar os desafios.

Os pais precisam entender que essa é uma escolha pessoal, que não deve ser influenciada por fatores externos, como o gosto familiar. Ao dar essa liberdade, eles permitem que o desenvolvimento dos filhos seja completo.

4. Mantenha sempre um diálogo aberto e afetuoso

Nada pode trazer mais segurança para os filhos do que um canal de diálogo sempre aberto com os pais. As dúvidas nessa fase são imensas, portanto ter com quem conversar sobre o assunto é um alívio importante, já que muitas vezes é necessário desabafar.

Lembre-se de ser afetuoso também, pois tudo o que seu(sua) filho(a) quer é uma palavra de carinho e apoio. Repreender ou menosprezar a escolha pode interferir no relacionamento familiar e trazer consequências negativas nessa relação. Além disso, a escolha pode ser influenciada, levando os adolescentes a mudar de alternativa, mesmo sem gostar da opção escolhida.

Nos momentos em que seu(sua) filho(a) estiver pesquisando sobre as carreiras, profissões, cursos e faculdades, procure se envolver. Ajude-o(a) a analisar o que pode ser o melhor caminho e dê sugestões sobre o que precisa ser considerado. O diálogo e a experiência dos pais serão fundamentais durante essa procura.

Neste artigo, você leu algumas dicas que, certamente, contribuirão para que você oriente seu(sua) filho(a) a como escolher uma profissão. A orientação deve começar desde cedo, mostrando como funcionam as profissões, dando liberdade para que ele(a) tome decisões por si mesmo(a) e colocando-se à disposição para o diálogo. Dessa maneira, o(a) adolescente terá segurança e confiança para tomar a decisão correta para o futuro.

Gostou de aprender mais sobre este tema? Então, compartilhe este texto nas redes sociais e contribua para que outros pais saibam como agir nesse momento importantíssimo na vida dos filhos!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.