como ter um bom diálogo com os filhos

Veja 7 dicas de como ter um bom diálogo com os filhos

A comunicação entre os membros de uma família é fundamental para a saúde emocional e felicidade de cada um. Alguns pais não sabem como ter um bom diálogo com os filhos, tendo um relacionamento problemático e, muitas vezes, distante. Porém, essa dificuldade pode ser superada desde que o carinho e o amor prevaleçam.

Um canal de diálogo aberto traz benefícios para os dois lados da relação. Esse relacionamento contribui para aumentar a confiança das crianças e a sensação de segurança. Por outro lado, os pais passam a conhecer melhor seus filhos, podendo ajudá-los nas atividades do cotidiano e eventuais desafios que possam surgir.

Neste artigo, traremos algumas dicas para você conseguir estabelecer um diálogo saudável com seus filhos. Acompanhe a leitura!

Dicas de como ter um bom diálogo com os filhos

Não existe uma fórmula mágica para se relacionar com os filhos, pois cada família e pessoa têm as suas próprias características. Porém, alguns hábitos podem facilitar essa relação e contribuem para que o diálogo seja saudável e agradável. Confira algumas dicas para promover esse ambiente!

1. Saiba ouvir

É comum que os pais reclamem que seus filhos não querem conversar com eles. Muitas vezes isso está ligado ao fato de as crianças não gostarem de ficar apenas ouvindo. O espaço de fala deve ser compartilhado, permitindo que cada pessoa exponha a sua opinião e respeite a do outro.

Se você pretende melhorar a comunicação com seus filhos, comece a valorizar os pontos de vista deles e a ouvir com verdadeira atenção. Quando procuram os pais para conversar sobre um assunto, desejam apoio ou apenas uma pessoa para desabafar.

Nesses momentos, é fundamental escutar atentamente, prestando atenção ao que está sendo falado. É interessante evitar distrações (celular, televisão ou outra atividade) porque podem atrapalhar o diálogo, passando a sensação de que você não está interessado no que está sendo dito.

2. Evite enfrentamentos

Os enfrentamentos não são um caminho saudável para o relacionamento entre pais e filhos. Você deve permitir que o seu(sua) filho(a) tenha liberdade para contar o que deseja sem ter medo de ser repreendido(a).

Quando a criança se abre e recebe um castigo como resposta, pode guardar mágoa disso. Dessa maneira, ela pode não voltar a contar seus sentimentos e pensamentos, pois não confia mais nos pais.

Para manter esse diálogo, busque sempre o caminho da compreensão e controle as suas reações. É claro que algumas situações devem exigir alguma repreensão ou conversa mais séria, mas isso deve ser feito com carinho e nos momentos certos.

3. Tenha calma

Para conversar com seu(sua) filho(a), é essencial manter a calma. Em momentos de tensão, é importante controlar as emoções e evitar reações explosivas, pois elas trarão atritos desnecessários para a relação.

Quando os problemas surgem, é muito mais fácil conversar de maneira calma e lúcida, buscando a resolução do impasse sem apontar os erros. Evite gritos e reações ríspidas, pois a resposta a esses comportamentos pode ser a interrupção do diálogo e a perda de confiança.

4. Respeite o espaço

Os filhos também devem ter seus espaços privados e é muito importante que os pais respeitem isso. Caso você perceba que no momento a criança não quer conversar com você, respeite e não insista, pois isso pode afastá-la ainda mais.

Isso é importante para permitir que a criança procure os pais quando realmente precisa de um conselho ou apenas de uma pessoa para contar as suas experiências e dificuldades. Dessa maneira, ela saberá que o canal de diálogo está sempre aberto e que não é forçada a conversar quando não está com vontade.

5. Seja sincero e verdadeiro

A sinceridade deve ser a base do relacionamento familiar. Você não precisa se comportar como um colega do(a) seu(sua) filho(a), pois isso pode soar até como algo engraçado. A criança precisa ver os pais como amigos, mas também como pessoas responsáveis e maduras.

Por mais que você esteja tentando manter uma comunicação aberta e sincera com o jovem, não há como deixar de ser um adulto que se importa com a segurança e o bem-estar familiar. Os momentos de repreensão precisam continuar acontecendo, pois fazem parte do aprendizado e demonstram que você se preocupa com seu(sua) filho(a).

6. Compartilhe momentos de diversão

O relacionamento familiar não deve se limitar a cobranças e repreensões. Para que a amizade e o diálogo sejam naturais, é importantíssimo compartilhar momentos de diversão. Isso pode ser feito ao assistir a um filme ou a uma partida esportiva, ao fazer passeios e viagens, e várias outras atividades.

Durantes esses momentos, a conversa tende a fluir espontaneamente e dá espaço para a discussão de coisas amenas, mas também de assuntos mais sérios. Ao perceber que os pais estão preocupados com sua felicidade, os filhos sentem mais confiança para expor eventuais problemas ou dúvidas.

7. Respeite os sentimentos da criança

A formação emocional dos filhos ainda não está completa, por isso é normal que algumas emoções e sentimentos sejam mais fortes se comparadas às dos adultos. Por isso, é fundamental que os pais não desprezem ou minimizem os problemas enfrentados nessa fase.

Uma nota baixa, um jogo perdido e outros fatos aparentemente banais podem derrubar emocionalmente uma criança. É importante que os pais levem a sério cada dificuldade, demonstrando apoio e oferecendo ajuda.

Essa compreensão mudará a concepção dos filhos, que perceberão que os pais se preocupam com tudo que está no universo deles. Isso deixa o canal de diálogo aberto e estimula a troca de informações.

Estas foram algumas dicas de como ter um bom diálogo com os filhos. Como sabemos, cada situação tem as suas peculiaridades, porém o amor e o carinho são fundamentais para garantir um relacionamento saudável. Dessa maneira, as crianças se sentem mais seguras, amadas e prontas para enfrentar os desafios da juventude, enquanto os pais ficam mais tranquilos e realizados.

Gostou de aprender mais sobre este tema? Então, aproveite para ler nosso artigo que fala sobre como ajudar os filhos na adaptação da escola!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.