cronograma de estudos

  Saiba como elaborar um cronograma de estudos eficiente

Vestibular e Enem exigem mudanças de estratégia, especialmente um cronograma de estudos mais voltado ao longo prazo. É que, em vez de se preocupar com provas recorrentes e específicas, o estudante é submetido a avaliações únicas e abrangentes.

No entanto, nem sempre os filhos conseguem promover as mudanças necessárias. Não só a disciplina, mas também o planejamento pode ser um desafio para quem ainda não têm experiência nesse tipo de preparação. É nesse quesito que pais engajados podem fazer a diferença no futuro dos adolescentes.

Neste conteúdo, reunimos as boas práticas para elaborar um cronograma de estudos e realizar uma preparação adequada para vestibulares e Enem. Continue a leitura e conheça dicas valiosas que podem ajudar a aprendizagem de seus filhos!

Quais são os benefícios do cronograma de estudos?

O cronograma de estudos é a distribuição dos assuntos e tarefas no calendário, visando à preparação para um objetivo específico, como a aprovação no Enem, PISM e demais vestibulares. Portanto, é forma de se planejar e gerir o aprendizado até a data da prova.

Melhoria dos hábitos de estudos

O primeiro grande benefício dessa prática é construir rotinas. No famoso livro “O Poder do Hábito”, de Charles Duhigg, vemos que os hábitos funcionam como um ciclo de três etapas:

  • gatilho — estímulo que dá início à atividade;
  • rotina — conjunto de ações que são programadas;
  • recompensa — benefício vinculado ao término da rotina.

O cronograma de estudos define quais são as tarefas. Assim, podemos criar hábitos adicionando gatilhos, recompensas e repetição do ciclo.

Um exemplo é a técnica do pomodoro. Trata-se de dividir o tempo de estudos em vários períodos de 25 minutos, sucedidos por intervalos. Os aplicativos desse tipo, geralmente, iniciam a contagem com um toque sonoro, a pessoa executa a tarefa e, ao final do tempo, outro alarme dispara, recompensando com 5 minutos de descanso.

Redução da procrastinação

Também podemos usar o cronograma para transformar o objetivo de longo prazo em metas do dia a dia. Ademais, com entregas diárias ou semanais, é mais fácil oferecer recompensas, especialmente feedbacks positivos.

Há, nesse sentido, melhores condições para lidar com a procrastinação. Isso porque, diferentemente da aprovação, que é algo distante, as metas não podem ser deixadas para amanhã.

Aceleração do processo de aprendizagem

Outra questão é que a forma e o momento de executar as tarefas não são indiferentes. A ideia do cronograma é organizar as atividades para otimizar o entendimento e a memorização, organizando leituras, aulas, revisões e exercícios. Assim, o aprendizado será potencializado.

Quebra de crenças limitantes

Por fim, existe a importância para motivação dos adolescentes. Muitas vezes, a aprovação ainda é algo distante e abstrato, portanto eles se desmotivam, deixando as tarefas de lado ou executando-as sem comprometimento.

A vantagem de transformar um objetivo grande em vários pequenos é que o desafio de hoje é factível, e a aprovação é fruto da constância em cumprir metas realistas e concretas. Além disso, quem fará a prova é alguém que passou por um amplo cronograma de estudos, minimizando os efeitos das crenças limitantes.

Como elaborar o cronograma de estudos?

Para fazer o cronograma de estudos, os dois fatores determinantes são lidar com o esquecimento e definir uma carga horária razoável. Lembre-se também de que saber (conhecimento) não é o mesmo que saber fazer (habilidade). Por isso, simulados e exercícios são tão importantes quanto aulas e leituras.

Separe as matérias

A elaboração do cronograma começa por identificar as matérias. Vestibulares e Enem publicam o edital com a lista de disciplinas, e a partir do conteúdo cobrado nos anos anteriores, é possível ter uma noção dos assuntos da prova. Você também pode buscar nos índices de materiais didáticos específicos para a avaliação escolhida.

Defina o método de controle

Para controlar o que já foi estudado, o ideal é imprimir a lista ou usar um aplicativo — Trello, Google Sheets, Evernote etc. Basicamente, o estudante precisa saber quais tarefas já foram realizadas em relação a cada tópico.

Priorize os pontos de maior dificuldade

Pesquise sobre a prova escolhida e converse com o(a) seu(sua) filho(a) para entender as prioridades. Uma dica é destacar os assuntos difíceis. Como vestibulares e Enem cobram temas que já foram vistos no ensino médio, haverá assuntos em que só é preciso relembrar, enquanto os de dificuldade maior vão demandar mais tempo e paciência.

Além deles, os tópicos mais recorrentes merecem atenção especial. Igualmente, aqueles que, fáceis ou difíceis, exigem memorização de informações abstratas, como fórmulas matemáticas, exigindo a repetição por mais dias do que o habitual.

Estabeleça objetivos e metas

Com as informações sobre a prova, defina a quantidade de conteúdo diária ou semanal. Além disso, é importante programar um dia para fazer a gestão do plano, reduzindo ou aumentando as metas, de modo a sempre ter um alvo relevante e factível.

Escolha um método eficaz

Um ponto para ser conversado entre pais e filhos é a metodologia de estudos. Do livro “Aprendendo Inteligência: manual de instruções do cérebro para alunos em geral”, de Pierluigi Piazzi, por exemplo, podemos tirar alguns pontos relevantes que podem ser usados no cronograma dos adolescentes:

  • as aulas de hoje devem ser revisadas até a hora de dormir;
  • atividades intensas como resolver questões e fazer resumos escritos à mão são essenciais para memorização;
  • as aulas ajudam a entender, mas só aprendemos após atividades intensas;
  • o estudo deve ser diário, e não necessariamente extenso;
  • revisões devem preferencialmente evitar a curva do esquecimento.

Adéque o plano à rotina

O cronograma de estudos deve se adaptar à rotina, ou seja, considerar horários de aulas, deslocamentos, lazer, alimentação, exercícios físicos, entre outros aspectos. Monte um quadro com as atividades atuais e procure o melhor período para as horas de estudo.

Defina um horário fixo de estudos

Para criar o hábito, é importante ter um horário fixo de estudos. Além disso, ter intervalos é fundamental para manter a atenção. Você pode ensinar ao(a) seu(sua) filho(a) a técnica do pomodoro, que falamos anteriormente.

Lembre-se dos períodos de descanso

O estudo deve existir como um projeto. Dentro dos horários combinados, o estudante inicia a atividade, cumpre a rotina e fecha o trabalho. Depois disso, é natural ter momentos de descanso e lazer, principalmente como recompensa pelo esforço realizado naquele dia. Lembra-se do poder do hábito?

As horas de sono também são fundamentais. O que passou pela nossa atenção — especialmente pelo estudo intenso — é transformado em memória de médio e longo prazo enquanto dormimos. Logo, não ter uma noite adequada é prejudicial.

Por fim, incentive os exercícios físicos. O preparo do corpo reduz o cansaço durante as atividades intelectuais. Logo, contribui para ter mais atenção, aumentando a qualidade das tarefas e as chances de passar na prova.

Sendo assim, o cronograma de estudos estará pronto, com equilíbrio entre relevância das metas e possibilidade de alcançar os resultados. Portanto, dará uma grande contribuição para aprovação no Enem e nos vestibulares.

Se o conteúdo foi útil, assine nossa newsletter para receber mais dicas de estudo e planejamento!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.