​Saiba como avaliar o desempenho escolar de seu(sua) filho(a) desde o início do ano

​Saiba como avaliar o desempenho escolar de seu(sua) filho(a) desde o início do ano

Acompanhar o desempenho escolar dos filhos desde o início do ano é muito importante para evitar dificuldades, recuperações e até a reprovação escolar. Um bom desempenho não se refere apenas às boas notas do(a) aluno(a), mas também ao entendimento da matéria e aos valores passados na sala de aula.

É comum que pais e responsáveis só procurem a escola quando há algum problema com a criança. Contudo, a melhor forma de prevenir problemas e ajudar os filhos é criar uma parceria forte entre escola, professores, alunos e pais. Além de frequentar as reuniões marcadas, é importante se informar com os professores sobre o desenvolvimento da criança ou adolescente, tanto na questão pedagógica quanto disciplinar.

Se você se interessou por este tema, continue lendo nosso post e conheça algumas dicas para saber como avaliar o desempenho escolar de seu(sua) filho(a).

Como os pais podem ajudar no desempenho escolar?

Melhorar o rendimento dos filhos é um desafio diário e deve se tornar rotina na vida dos pais. Mesmo com tantos compromissos, é necessário separar um tempo para sentar com a criança, conversar com ela, perguntar sobre a rotina escolar e desenvolver atividades em conjunto. A escola tem a responsabilidade de passar conhecimento aos jovens e os pais têm o dever de estender esse aprendizado para a vida dos alunos.

Para mostrar que é possível maximizar o desempenho escolar, separamos algumas dicas para ajudar nessa avaliação. Confira!

Participe mais na vida dos filhos

Essa é uma das dicas mais valiosas. Mesmo com a rotina cansativa e corrida de pais e filhos, é dever dos responsáveis procurar oportunidades que os aproximem do estudo. No caso das crianças mais novas, por exemplo, elas se sentem mais seguras e confiantes quando percebem que os pais têm uma conexão com os professores.

Tente estabelecer contatos periódicos com os professores ou coordenadores e verifique se está correndo tudo bem. Quando as crianças percebem o interesse dos pais em seu desenvolvimento, elas se sentem mais valorizadas e se esforçam mais a fim de agradar professores e familiares.

Não barganhe

Barganhar é uma maneira aparentemente fácil de conseguir que seu(sua) filho(a) realize as tarefas necessárias. Entretanto, essa forma de agir pode acabar prejudicando a criança uma vez que, na vida adulta, as relações sociais não são construídas assim.

Estudar, ter obrigações e fazer tarefas são responsabilidades de todos. A partir do momento que os responsáveis começam a barganhar em troca de algo, as crianças entendem que é assim que as relações funcionam. Portanto, é preciso criar a consciência de que estudar pode ser tedioso, mas é necessário para criar um futuro melhor, realizar sonhos e conquistar um bom emprego. Desde cedo, o(a) aluno(a) precisa entender que há momentos para brincar e outros para estudar, sendo o diálogo a melhor forma de construir esse entendimento.

Dar exemplos pode ser uma alternativa prática para que a criança entenda. Por exemplo, muitos meninos desejam se tornar jogadores de futebol e acreditam que grandes jogadores têm apenas a obrigação de frequentar os jogos. Explique a eles que, por trás do jogo, há o preparo físico, psicológico, a distância da família e os treinos, e que, mesmo sendo algo glamouroso, há muito trabalho e esforço.

Conte com a tecnologia para o aprendizado

A tecnologia é uma aliada dos pais para melhorar o aprendizado. Atualmente, os tablets e smartphones conseguem atrair mais a atenção das crianças do que livros e cadernos. Isso não significa que o método tradicional não funcione, porém modificar as formas de transmitir o conteúdo é uma alternativa para melhorar a fixação.

Se o(a) seu(sua) filho(a) tem dificuldade em alguma matéria específica, procure aplicativos que auxiliem nisso. Ao gamificar, ou seja, transformar o estudo em um jogo, o(a) jovem se sente muito mais engajado(a) e desafiado(a) a solucionar os problemas. Lembre-se apenas de conferir a faixa etária e impor limites para o uso dos aparelhos.

Dê bons exemplos

Sabemos que é preciso conversar e explicar para os filhos qual a importância do estudo e do esforço na vida escolar. Contudo, nada melhor que o exemplo para ensinar. Seja ele bom ou ruim, a criança tem muito mais facilidade em entender e copiar o que os pais fazem do que apenas o que eles falam. Por isso, ter o hábito da leitura, do estudo e de momentos para o aprendizado é tão importante.

De nada adianta proibir o(a) filho(a) de usar o celular durante o estudo, se os pais nunca desligam o aparelho durante as atividades em casa. Além disso, é importante que os pais demonstrem responsabilidade, organização e pontualidade.

Proponha atividades lúdicas

Propor atividades lúdicas aos filhos auxilia na fixação do conhecimento adquirido na escola. Inserir conteúdos durante atividades corriqueiras pode ser uma alternativa para atrair a atenção dos pequenos. É possível, por exemplo, estimular o aprendizado de outras línguas perguntando para o(a) filho(a) quais os nomes das cores que ele(a) está usando, nome de animais e objetos.

Utilize filmes, desenhos e outros materiais que complementem o aprendizado. Para aprender Geografia não é preciso ficar preso aos livros didáticos; abrir o mapa-múndi e conversar com o(a) jovem sobre uma curiosidade de cada país pode ser um método mais estimulante.

Entenda as particularidades do(a) seu(sua) filho(a)

Ao acompanhar o processo de aprendizagem, ficará mais fácil identificar pontos em que os filhos têm dificuldades. Todas as pessoas têm afinidades com certas áreas e dificuldades com outras. Por isso, ao identificar essas particularidades desde cedo, será mais fácil entender quais pontos merecem mais atenção.

Além disso, não culpe a criança pela dificuldade em aprender. Existem diversos fatores que podem influenciar no desempenho escolar, inclusive problemas de déficit de atenção ou desinteresse pela matéria. Caberá aos pais e professores identificarem a causa da dificuldade e traçar meios de melhorar a situação.

Percebemos, portanto, que o bom desempenho escolar depende de muito diálogo e da união entre pais, professores, alunos e escola. Cada ator nesse processo tem uma função, e é preciso organização para que o acompanhamento funcione bem. Dessa forma, procurar um colégio que se preocupe com isso pode ser o diferencial para o sucesso do(a) aluno(a).

Gostou do nosso conteúdo? Tem alguma dúvida? Deixe o seu comentário no post que teremos prazer em ajudar.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.