desenvolvimento emocional

Saiba como os pais podem ajudar no desenvolvimento emocional dos filhos

A proposta de um desenvolvimento saudável é um ponto que pode melhorar o bem-estar das crianças, assim como sua relação com os estudos e a vida profissional. Mas é também um tema cercado de mitos.

Assuntos da Psicologia podem muito facilmente virar alvo de teorias motivacionais ou de autoajuda e, em boa parte dos casos, a solução não passa por aí. Discurso motivacional vazio, sem a compreensão dos motivos da falta de vontade pelos estudos, por exemplo, pode agravar o problema, em vez de resolvê-lo.

Neste post, vamos abordar alguns pontos em comum da Psicologia da Educação e da Didática. Também vamos discutir como ambas atuam para o desenvolvimento emocional dos seus filhos, dando algumas dicas para você assumir postura ativa nessas questões. Confira!

O que significa desenvolvimento emocional em crianças

Todas as pessoas vivem em meio a uma teia de relações entre suas questões emocionais e o ambiente em que vivem. Assim, as necessidades materiais, por exemplo, determinam nossas emoções, mas são também determinadas por elas.

Então, o desenvolvimento emocional envolve uma série de questões: a aceitação de que não se tem controle sobre tudo na vida, assim como a noção de que há coisas pelas quais não se é responsável.

Esse tipo de aceitação evita, por exemplo, a falta de interesse em interagir no ambiente, o que, em alguns casos, configura um dos sintomas mais claros e expressivos da depressão.

Para um desenvolvimento emocional saudável, as crianças precisam ser “contrariadas” rotineiramente. Ou seja, elas devem entender que o ambiente no entorno não vai se esforçar para se adequar às suas vontades. Por outro lado, um meio excessivamente conflitante com tudo que elas podem suportar também é nocivo.

É encontrando o meio-termo nessas questões que os mais jovens compreendem seu papel: modificar aquilo que é possível e compreender, aceitar e lidar com o que não pode ser modificado.

Por que essa é uma questão importante a ser trabalhada

As interações sociais, na ausência dessa aceitação e noção de responsabilidade, podem ser muito complicadas. Sem uma educação emocional nesse sentido, tendemos a impor nossas vontades ou ficarmos à mercê dos desejos alheios.

Em ambos os casos, o resultado é a infelicidade. Então, o desenvolvimento emocional saudável é uma negociação constante com o meio em que se vive, no sentido de construir nele o que se quer. Além disso, é necessário entender que, na maior parte das vezes, será necessário ceder, para o bem do coletivo.

Se for possível agir dessa forma, o equilíbrio emocional acontece, e ocasiona a melhoria das interações sociais em todos os seus níveis. No próximo tópico vamos falar mais objetivamente de como construir esse tipo saudável de interações.

Algumas dicas para ajudar seus filhos nessa tarefa

O desenvolvimento emocional de crianças e adolescentes, assim como o aprimoramento intelectual, são responsabilidades conjuntas de pais e escola. Nascem a partir de um diálogo entre esses dois universos, que devem ter, de preferência, um planejamento em comum.

Abaixo, relacionamos algumas atitudes que podem servir de base para essa tarefa conjunta. Elas também são ótimos pontos de partida para criar um diálogo entre pais e professores, que certamente vai facilitar o desenvolvimento emocional infantil.

Crie um vínculo saudável

Somos emocionalmente vinculados e vinculáveis às pessoas que nos cercam. As interações sociais entre as pessoas — mesmo que hoje sejam virtuais na maior parte do tempo — são determinantes para que elas se construam na sua individualidade.

Assim, o tipo de vínculo construído é algo sobre o qual devemos depositar nossa atenção. Como é a maneira pela qual seus filhos se vinculam aos pais e parentes, assim como aos amigos e professores?

É possível que esse vínculo seja mais saudável e envolva sentimentos positivos? Não questionar o comportamento do outro e evitar juízo de valor em excesso ajuda a não depositar expectativas maiores que a realidade tanto nos outros quanto em si mesmo.

Dê bons exemplos

Os seres humanos são apegados ao discurso. No entanto, quando o assunto é o aprendizado, as atitudes tomadas são a maneira mais efetiva de transmitir mensagens.

Em muitos casos, se as habilidades que as crianças deveriam apresentar não são desenvolvidas efetivamente, não é por falta de instrução, mas de exemplos. É interessante atentar a essa questão, já que afeta igualmente o desenvolvimento ético de alunos, pais e professores.

Ajude-os a controlar seus impulsos

A vontade não pode ser infinita. A felicidade (enquanto categoria dos estudos da Psicologia) consiste da capacidade de resolver problemas.

Lidar com adversidades nos faz mais felizes tanto porque nos sentimos mais fortes ao adaptarmo-nos àquilo que não podemos mudar, quanto mais inteligentes ao modificar o meio para que se adapte às nossas necessidades.

Evite o mau humor

Dentre os sentimentos negativos a que nos referimos, o mau humor é talvez o mais nocivo. Ele contribui para uma experiência ruim da realidade, calcada no pessimismo e na visão negativa de fatos e eventos.

O mau humor leva, ainda, à comunicação violenta, que gera danos permanentes na socialização dos indivíduos. Depois de estabelecida uma relação conflituosa, é difícil retornar ao ponto inicial.

Estimule o respeito e a empatia

Colocar-se no lugar do outro é uma habilidade indispensável para o desenvolvimento emocional das crianças. É preciso abandonar juízos de valor severos para entender as dificuldades e escolhas das outras pessoas.

Isso implica compreender que não basta “nos colocarmos no lugar deles”. É mais que isso: para ter empatia e respeito, devemos perceber que a maneira de outra pessoa pensar é diferente da nossa, o que determina decisões diferentes também.

Nunca é cedo demais para o desenvolvimento emocional e nem há momento certo para isso. Desde os primeiros anos dos pequenos na escola, a instituição deve atuar junto aos pais nesse sentido. Acredite, os efeitos desses cuidados no desenvolvimento intelectual e profissional das crianças são enormes.

Outro conceito importante para a educação é o de independência emocional. Se você não sabe o que é isso, vai gostar do nosso post sobre o assunto. Desenvolvimento e independência emocional estão mais relacionados do que você imagina!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.