disciplina positiva

Entenda o que é disciplina positiva e por que ela é defendida

Não é tarefa simples educar crianças e jovens. Os pais, por meio de tentativas e erros, vão se aperfeiçoando. Repetem padrões, procuram lembrar como as pessoas que cuidaram deles reagiriam perante certas situações. Há pais que nem estão preparados para assumir esse papel, mas, mesmo assim, se veem na contingência de fazê-lo.

A procura pelo caminho mais apropriado na educação e formação dos filhos é comum na maioria das famílias. A demanda por respostas conduziu muitas pessoas a uma nova filosofia, chamada de “disciplina positiva”. Vamos saber mais sobre o tema ao longo do artigo!

O que é disciplina positiva?

A disciplina positiva é uma filosofia que acredita ser possível educar os filhos com firmeza, sem a aplicação de punições, nem ameaças, nem recompensas.

Não é preciso ameaçar, nem prometer recompensas para que as crianças tenham um bom comportamento. Por isso, a disciplina positiva desconstrói antigos padrões aos quais já estamos acostumados.

Conforme essa nova forma de educar filhos, todas as ações devem se pautar no respeito mútuo. O relacionamento entre pais e filhos não pode funcionar como um pêndulo, ora firme, ora gentil. É importante que haja um equilíbrio entre ambos.

Conforme a psicóloga e educadora Jane Nelsen, autora da obra “Disciplina Positiva”, a criança deve ser respeitada e tratada com dignidade. A nova filosofia da educação garante mais autonomia à criança, contribui para melhorar seu otimismo e autoconfiança ao mesmo tempo em que determina limites para suas ações por meio de regras firmes. Trata-se de uma opção melhor que castigos, palmadas, gritos e outras formas de intimidação.

Quais são os fundamentos da disciplina positiva?

A disciplina positiva está baseada em 5 fundamentos que devem integrar a educação dos filhos/estudantes:

  1. ajudar a criança a ficar conectada: a criança deve ter o sentimento de pertencimento à família e à escola, deve sentir que pode contribuir com algo;
  2. estimular o mútuo respeito: envolve gentileza e firmeza simultaneamente (as pessoas adultas, pais/professores, se transformam em modelos de respeito);
  3. ser efetiva em longo prazo: levar em conta o que a criança está pensando, sentindo, decidindo e aprendendo a respeito de si mesma e do meio social em que ela vive — e também sobre o que fará futuramente para garantir sua sobrevivência ou sucesso;
  4. ensinar habilidades sociais e de vida: cooperação, respeito, cuidados com as outras pessoas, solução de problemas;
  5. incentivar a descobrir suas potencialidades: estimular o uso construtivo do poder pessoal e investir no desenvolvimento da autonomia.

Por que a disciplina positiva é preferida em relação a outros métodos?

Na escola, tanto quanto em casa, a nova filosofia pode ser aplicada com sucesso e até superar outros métodos — ou ser combinada com alguns deles para otimizar os resultados. Vejamos alguns motivos para que a disciplina positiva seja preferida quando comparada a outras abordagens pedagógicas!

1. Desenvolvimento de sete habilidades

Podemos destacar que essa preferência se deve ao fato de a disciplina positiva promover o desenvolvimento de 7 habilidades que, de acordo com a Dra. Jane Nelsen, contribuem para que as crianças se transformem em pessoas mais qualificadas:

  • forte percepção de suas próprias habilidades (“eu sou capaz”, uma afirmação relevante para a conquista da autoconfiança);
  • intensa percepção sobre sua importância em relacionamentos primários (“minha contribuição faz a diferença e eu sou necessário”);
  • percepção forte sobre seu próprio potencial para influenciar sua vida (“posso influenciar aquilo que ocorre em minha vida”);
  • intensa habilidade intrapessoal para conseguir compreender suas próprias emoções e, a partir desse conhecimento, investir no desenvolvimento do autocontrole e da autodisciplina;
  • intensa habilidade interpessoal para interagir com outras pessoas e fazer amizades usando a comunicação, a negociação, a cooperação, a empatia, a escuta ativa, a troca;
  • forte habilidade sistêmica para aceitar os limites e as consequências da vida diária, sendo responsável, flexível, íntegro e adaptável;
  • forte habilidade de avaliação para considerar as diversas situações sabiamente, conforme os valores mais adequados.

2. Possibilidade de conhecer as suas áreas de destaque na instituição

A disciplina positiva favorece o autoconhecimento como já falamos. A criança, com mais autonomia, consegue identificar por si mesma as áreas em que se destaca na instituição.

Essa é uma vantagem muito importante porque ela não fica tão dependente do que os outros pensam dela. Claro que a orientação do educador e dos pais contribui para que o(a) aluno(a) encontre seu caminho, mas ele(a) já pode, a partir de seu entendimento, opinar sobre o que gosta e o que não gosta, sobre seus pontos fortes e seus pontos fracos, tomar algumas decisões.

Ao identificar as disciplinas em que se destaca, a criança consegue trilhar seu próprio rumo com mais independência e as possibilidades de que, no futuro, ela opte pela profissão mais compatível com seu perfil são muito maiores.

Crianças muito dependentes tendem a ter mais dificuldades na hora de tomar decisões e acabam dando mais trabalho aos pais que, por mais que tentem ajudar, não conseguem fazer com que ela escolha um caminho.

3. Possibilidade de aprendizagem mais rápida

Quando a criança se sente mais dona de si em certos aspectos, isso pode facilitar o processo de aprendizagem. A coação no aprendizado nem sempre funciona — ou passa aquela desagradável ideia de que “estudar é uma coisa ruim”. A disciplina positiva, quando aplicada na escola, busca justamente o contrário: transformar a ida à escola, o ato de estudar, em algo bom, que traga satisfação aos alunos.

Com um entendimento melhor a respeito de hierarquia, disciplina, importância de adquirir conhecimentos, diálogo, relacionamento harmonioso com os outros, responsabilidade — ainda que inconscientemente —, a criança, em geral, consegue aprender com mais rapidez e qualidade.

A disciplina positiva é uma forma de abordagem educacional, destinada a pais e educadores, que se contrapõe à forma tradicional de educação, em que a criança só mantém uma boa conduta se for ameaçada ou em troca de alguma recompensa. Com a nova disciplina, ela aprende qual conduta é a melhor, independentemente de bônus ou ônus, e começa a desenvolver valores desde cedo. Na escola, isso é especialmente importante para uma melhor aprendizagem e um relacionamento social mais maduro.

Por isso, é importante a compreensão de qual método a instituição de ensino aplica. Vale a pena conferir se ele ainda é válido, é atualizado, ou se é um método ultrapassado que já não apresenta mais tanta eficácia. Lembre-se de que, de alguma forma, o futuro da criança está associado a esses aspectos.

O que achou do texto? Gostou da abordagem sobre disciplina positiva? Para se manter atualizado sobre educação em casa e na escola, assine nossa newsletter e receba conteúdos variados diretamente em seu e-mail!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.