faculdade integral

Afinal, o que é e como funciona uma faculdade integral? Entenda!

O período integral já se tornou parte das escolas, principalmente no Ensino Fundamental, e inclui uma programação especial para as crianças, levando em conta as suas necessidades conforme a faixa etária. 

No entanto, você sabia que também existe faculdade integral? Sim! Diferentemente da escola, que tem a opção de estender o período todos os dias ou parte deles, alguns cursos superiores adotam uma carga horária estendida obrigatória com aulas em dois períodos.

Vamos entender o que é a faculdade integral, como funciona e como a carga horária impacta a decisão dos estudantes por uma profissão? Boa leitura!

O que é faculdade integral?

A faculdade integral é a modalidade de curso superior em que o(a) estudante frequenta aulas em dois períodos, totalizando cerca de oito horas de aulas diariamente, ou na maior parte da semana, incluindo sábados. 

Enquanto a maioria dos cursos universitários acontece em meio período (matutino, vespertino ou noturno), a faculdade integral vem suprir uma necessidade da grade curricular, da carga horária do curso e da metodologia de ensino da instituição. O Ministério da Educação (MEC) determina as cargas horárias mínimas para cada curso, de maneira a acomodar todas as disciplinas, as atividades complementares, os estágios obrigatórios e os trabalhos de conclusão de curso. 

Como vários contêm um grande número de componentes curriculares indispensáveis à formação profissional, seria impossível distribuí-los apenas em meio período, simplesmente porque ficariam longos demais. Então, a saída é dobrar o período de aulas.

Um exemplo clássico de faculdade integral é a graduação em Medicina, considerada o curso mais longo, não apenas no Brasil, mas em muitos países. A sua carga horária mínima é de 7.200 horas, distribuídas ao longo de seis anos, sem contar a fase de especialização ― que pode levar dois ou três anos mais.

Certos cursos, porém, dão a opção de período integral para que a sua duração seja encurtada, como é o caso de Psicologia, cuja carga horária mínima é de 4.000 horas, distribuídas em cinco anos. Quando a instituição opta pela dobra do período, o(a) aluno(a) se forma em quatro anos.

Instituições com mais cursos em período integral

Você verá que as faculdades públicas são as que mais têm cursos integrais em seu portfólio. Normalmente, eles pertencem à área da Saúde e de Exatas, como é o caso das Engenharias. 

Além disso, há cursos que permitem uma dupla graduação de bacharelado + licenciatura. Nesses casos, o período integral evita que o(a) aluno(a) tenha que fazer uma segunda faculdade para obter o grau faltante. 

Por fim, existem os casos especiais em que a ementa da faculdade inclui um grande número de aulas práticas. É o caso de alguns cursos de Música, oferecidos em período integral em determinadas instituições, como a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp, São Paulo).

Exemplos de cursos em período integral

Agora, veja a lista abaixo com alguns cursos que podem ser ministrados em período integral, segundo o guia de cursos de algumas instituições públicas:

  • Arquitetura e Urbanismo;
  • Ciência da Computação;
  • Ciências Biológicas;
  • Engenharias;
  • Educação Física (bacharelado + licenciatura);
  • Estatística;
  • Física (bacharelado + licenciatura);
  • Fisioterapia;
  • Fonoaudiologia;
  • Medicina;
  • Medicina Veterinária;
  • Música;
  • Odontologia;
  • Psicologia;
  • Terapia Ocupacional;
  • Zootecnia.

Vale lembrar que as instituições particulares seguem uma dinâmica bastante diferente e, certamente, você verá vários desses cursos oferecidos em meio período ou em período semi-integral (quando as aulas avançam por uma ou duas horas/aula para o contraturno, ou o(a) aluno(a) tem que comparecer à faculdade alguns dias fora do seu período oficial).

Como o período integral pode impactar a escolha dos filhos?

Dependendo da instituição e do curso que os filhos escolherem, pode ser que o estudo em período integral seja obrigatório. Isso, obviamente, faz com que a sua vida e a da família tomem um direcionamento mais regrado para os próximos anos. 

Então, é preciso pensar bem antes de tomar qualquer decisão. Para você saber como colaborar para essa importante fase da vida deles, deixaremos aqui alguns pontos importantes, que podem ser vantajosos ou não, para os universitários das faculdades integrais. Dê uma olhada a seguir!

Dedicação exclusiva

Os cursos integrais exigem dedicação exclusiva dos alunos. Isso é uma grande vantagem para o aprofundamento nas disciplinas, para o envolvimento com o curso e para o cronograma de estudos individuais. Além disso, as chances de os estudantes procrastinarem para estudar fora do horário de aula diminuem, já que terão menos tempo ocioso.

Criação de maiores vínculos com a faculdade

A faculdade integral permite que os estudantes vivam intensamente a rotina da instituição, entendam o seu funcionamento e criem elos positivos com pessoas importantes que poderão ajudá-los durante e após o curso. Essa convivência se estreita principalmente com os professores, que são peças-chave no desenvolvimento profissional inicial dos alunos.

Presença de um diferencial no currículo

Por ser mais densa em relação aos componentes curriculares, os alunos certamente sairão da faculdade com um currículo bem mais competitivo. Isso porque o mercado valoriza instituições que ofereçam graduações em período integral, pois entende que os alunos tiveram uma melhor formação e serão mais articulados para as demandas atuais de sua carreira.

Dificuldade de conciliar com um estágio ou trabalho

Por outro lado, a dedicação exclusiva necessária à faculdade integral dificulta que o(a) aluno(a) consiga se encaixar em um estágio ou em um trabalho com horário fixo. Então, se quiser trabalhar para aumentar a sua renda durante o curso, o(a) estudante terá de fazer algo no tempo que sobrar. 

Se o curso for diurno, a situação fica um pouco mais difícil e eles terão de lutar para conciliá-lo com experiências profissionais. Inclusive, é preciso tomar cuidado para não aceitar trabalhos que tenham pouco ou nada a ver com as suas áreas de atuação.

Provável mudança de cidade em caso de distância

Fazer faculdade em outra cidade é algo muito comum, e a rotina de ida e volta todo dia é tirada de letra por muitos universitários. Porém, quando falamos em uma faculdade integral, fatalmente, isso implica fixar residência perto da instituição, especialmente por conta do cansaço que as horas no trânsito trazem.

Logo, os gastos da família são significativamente elevados, mesmo que a instituição seja pública, pois as duas casas serão sustentadas e haverá muitas despesas agregadas (alimentação, a compra de utensílios domésticos, de roupas, água, luz, internet e até transporte coletivo, dependendo de onde seja a moradia estudantil).

Ingressar na vida universitária é uma decisão difícil, não é mesmo? Então, a melhor saída é que você tenha um bom conhecimento sobre essa rotina nos dias atuais para dar a melhor orientação aos filhos, evitando que eles tomem decisões equivocadas ou que fiquem estressados por não saberem como agir.

Agora que você já sabe como funciona uma faculdade integral, fique conosco mais um pouco porque é hora de falar sobre a preparação para os processos seletivos. Então, confira as nossas 7 dicas de como ajudar os filhos a se prepararem para o vestibular desde o início do Ensino Médio!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.