independência emocional

Saiba como a escola pode ajudar na independência emocional das crianças

Quando chega a hora de colocar os filhos para estudar, muitas preocupações tomam os pensamentos dos pais, e uma delas é a saúde emocional. No começo da vida, as crianças ainda são muito dependentes dos seus pais e têm pouca autonomia para tomar decisões. Porém, a escola pode proporcionar mais independência emocional para elas, com propostas diferenciais e com o auxílio da família.

Um colégio de qualidade se preocupa com todos os aspectos da vida dos seus alunos, promovendo uma educação integral. Dessa forma, aspectos intelectuais, sociais e psicológicos estão inseridos nas propostas pedagógicas, dando uma tranquilidade maior aos pais e formando cidadãos mais conscientes e seguros.

Neste artigo, vamos explicar o que é a dependência emocional, além de dar dicas de como os pais e a escola podem contribuir para formar crianças independentes. Confira!

O que é dependência emocional

É normal um(a) filho(a) querer ficar junto aos pais e é muito bom para o relacionamento familiar. Porém, quando essa vontade aparece de forma exagerada, é possível que a criança esteja desenvolvendo sintomas de dependência emocional. Do mesmo modo, crianças que não recebem a devida atenção dos pais também sofrerão com problemas emocionais.

A dependência fica mais perceptível quando os filhos demonstram insegurança, falta de autonomia, timidez e um medo constante de ficarem sozinhos ou de serem abandonados. É preciso prestar atenção no seu(sua) filho(a) para ver se ele(ela) não demonstra nenhum desses sintomas quando começa a ir para escola ou nos períodos de volta às aulas.

Um dos motivos que podem proporcionar a dependência emocional é uma criação superprotetora, na qual os pais resolvem todos os pequenos problemas e não dão autonomia nenhuma para os filhos. Os reflexos disso são crianças inseguras e dependentes, que, no futuro, se tornarão adultos com os mesmos problemas.

Como os pais podem contribuir nesse processo

Os pais têm papel fundamental na independência emocional dos filhos. É importante que, desde cedo, ensinem à criança que ela tem responsabilidades e precisa resolver algumas coisas. O amor e o carinho devem continuar existindo, mas reserve um espaço para que ela tenha liberdade e autonomia.

É bastante comum que os adultos tomem cuidados excessivos achando que estão sendo afetuosos. Essa vontade de ajudar em todas as ocasiões pode atrapalhar o desenvolvimento da criança. Na correria do cotidiano, às vezes é mais fácil e rápido amarrar o tênis do seu(sua) filho(a), do que esperar que ele(a) o faça, mas é necessário se controlar e deixar que ele faça isso sozinho(a).

Uma boa maneira de exercitar a independência da criança é dedicar um tempo do dia para deixá-la contar o que aconteceu durante o dia e expressar os sentimentos. Além disso, é importante que os pais saibam elogiar os filhos, demonstrando que valorizam as pequenas realizações e tarefas feitas por eles.

De que maneira a escola pode proporcionar a independência emocional

Assim como os pais, a escola também tem um importante papel na formação da independência emocional de seus alunos. Na sequência, mostraremos algumas práticas que a escola pode adotar para contribuir nesse processo.

Desenvolver autonomia e responsabilidade

Enquanto passa seu tempo na escola, a criança deve ter oportunidade de exercer sua autonomia para resolver problemas e conflitos. Ela precisa aprender a cumprir suas atividades dentro do tempo estipulado e criar a responsabilidade de resolver as tarefas que foram passadas.

Compreender que existem tarefas e que essas precisam ser resolvidas impacta de forma muito positiva a vida de uma criança, pois, desde muito cedo, ela aprenderá a lidar com as suas obrigações. O reflexo disso pode ser percebido em casa, pois seu(sua) filho(a) passará a ter mais autonomia para pequenas decisões e responsabilidades diárias.

Oferecer atividades extracurriculares

As atividades extracurriculares também são importantes para o desenvolvimento emocional do(a) seu(sua) filho(a). Geralmente, o que é feito fora da sala de aula exige um pouco mais de preparo, como treinos e ensaios, nos casos da prática de um esporte ou apresentações artísticas. Isso permite que a criança se interesse mais pelo que acontece na escola, pois não fica apenas estudando. A inclusão de atividades lúdicas é importante para promover a interação entre os alunos de forma mais prazerosa. Pintura, dança, brincadeiras e outras opções ajudam a fazer o tempo passar mais rápido e a prender a atenção dos pequenos. Ao mesmo tempo, a criança vai aprendendo sem se dar conta disso.

Trabalhar a socialização

Crianças com dependência emocional costumam não gostar da companhia de outras, porém a escola pode ajudar nessa aproximação. O contato com outras crianças é inevitável e precisa ser positivo. Quando seu(sua) filho(a) forma uma amizade, passa a ter mais vontade de ir para a escola, pois reencontrará o colega.

Por isso, os professores precisam ser criativos e cuidadosos nesse processo. Uma boa solução é propor interações por meio de jogos e brincadeiras, pois são momentos mais descontraídos. É sempre importante que a escola esteja atenta para ver se alguma criança não está ficando isolada ou não participando das atividades. Se for o caso, uma conversa com os pais pode ajudar a solucionar o problema.

Promover uma educação integral

A escola deve se preocupar com a educação integral de seu(sua) filho(a). Isso significa se importar com a formação intelectual, social e emocional das crianças. É interessante que a instituição disponha de orientadores capacitados para acompanhar esse processo da melhor forma possível.

A proposta pedagógica precisa levar em conta todos os aspectos que envolvem a formação de uma pessoa, percebendo que é nesse ambiente que o(a) aluno(a) vai desenvolver grande parte da sua personalidade e a sua relação com o mundo.

A independência emocional é muito importante para o(a) seu(sua) filho(a), e buscar uma escola que ajuda a desenvolver essa habilidade é muito importante. Os pais também precisam participar desse processo, dando autonomia aos filhos e permitindo que tomem decisões em assuntos nos quais são capacitados para isso.

Você gostou de aprender mais sobre esse assunto? Então aproveite e também leia este texto que fala sobre a importância de ensinar alguns valores para seu(sua) filho(a) ainda na infância.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.