Judô na escola: quais os benefícios da prática desse esporte para os filhos?

Judô na escola: quais os benefícios da prática desse esporte para os filhos?

Para além da forma convencional de livros e salas de aula (que também são muito importantes), algumas instituições de ensino oferecem uma diversidade de atividades extracurriculares que, além de melhorarem a qualidade de vida da criança, preparam-na para os contextos e situações da vida. A inserção do judô na escola é um exemplo.

Tendo que trabalhar em grupo, a criança aprende desde cedo a necessidade do respeito, da empatia e da cooperação. Assim, há um melhor desenvolvimento físico, psíquico e social, além da conservação da boa saúde e melhorias em termos de disciplina.

O Judô, além de tudo, auxilia na formação de seres humanos melhores, capazes de tomarem decisões, serem companheiros e, ao agirem, não terem a intenção de machucar, e sim de se defender de forma consciente e humana.

Quer saber por que o Judô, ao fazer parte das atividades extracurriculares, pode atuar de forma benéfica na vida do(a) seu(sua) filho(a)?

Afinal, o que são as atividades extracurriculares?

Algumas instituições de ensino passaram a oferecer atividades extracurriculares porque entenderam que elas funcionam como complemento no processo de formação das crianças.

Trata-se, portanto, de um ensino diferenciado e lúdico, com melhores chances de absorção de conhecimento e de desenvolvimento do corpo e da mente, atuando diretamente no processo de aprendizagem.

Grande parte das atividades extracurriculares trabalha para formar cidadãos mais conscientes, enturmados e respeitosos. Dessa forma, tornam-se capazes de pensar, refletir, ser criativos e saber até onde podem ir para não prejudicar a si nem ao outro.

“As atividades extracurriculares contribuem para que professores e pais conheçam melhor os alunos, visto que elas podem ajudar na identificação de vocações e características que influenciarão na escolha profissional e outras decisões ao longo da vida”, como escrito em matéria do jornal Estadão, em 3 de fevereiro de 2016.

Assim, o grande ganho com tais atividades é: a criança desenvolve habilidades e adquire conhecimentos no seu meio escolar para serem usados também em contextos diferentes, por exemplo, em sociedade.

Por que escolher o Judô?

A UNESCO (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura) fez uma declaração muito importante: o Judô é o esporte mais indicado no processo de formação de crianças a partir dos 4 anos.

Isso se deve a vários motivos, a começar: o Judô é uma arte marcial de origem japonesa que, traduzido, quer dizer ‘caminho suave’. Portanto, não é uma prática violenta nem prejudicial. Pelo contrário, prioriza a atividade em grupo, a disciplina, o respeito, a educação, a empatia e a resiliência. Em outras palavras, por meio do Judô, há fortes chances de adquirir e praticar a compaixão, algo que tanto buscamos em sociedade.

O criador, Jigoro Kano, desenvolveu a prática para que ela fosse mais do que disciplinada, educativa e respeitosa: procurava um esporte com lógica e que pudesse ser usado também como um meio de melhorar o próprio corpo. O objetivo, de acordo com ele, não deveria ser derrubar o oponente, mas ter uma educação do próprio corpo.

Um trabalho realizado pela professora Adrieli Regina Benedicto, licenciada em Educação Física pela Faculdade de Educação Física de Barra Bonita (SP), tinha o objetivo de comparar duas escolas: uma que oferecia a prática do Judô e outra que não. A intenção era analisar as possíveis diferenças, por meio de questionários, no comportamento dos alunos.

Os resultados da pesquisa demonstraram que crianças ‘ociosas’, que não praticam nenhum tipo de esporte, no caso o Judô, são mais agitadas em sala de aula, pois não têm um bom poder de concentração, são ansiosas, não conseguindo aguardar sua vez em qualquer atividade.

Ainda, mostraram também que o Judô proporcionou, de forma visível às crianças, mais calma, disciplina e maior respeito às regras a elas impostas. Nesse caso são crianças que trabalham corpo e mente, portadoras de um desempenho melhor do que as demais, no quesito disciplina.

Assim, em um período no qual as crianças estão descobrindo o mundo, seu corpo e suas capacidades, torna-se clara a importância de mantê-las ativas, desenvolvendo atividades que estimulem seu lado psicomotor, como o condicionamento físico, o espírito de luta e uma atitude moral autêntica, como elencou o trabalho da professora citada acima.

Quais benefícios a prática de Judô na escola pode trazer?

Inúmeras são as vantagens e podem perpassar por todos os âmbitos da vida do indivíduo, já que a prática do Judô interfere no caráter, físico, psíquico e social. Como exemplo, temos: conhecimento do próprio corpo, elevação da autoestima e maiores chances de socialização.

Conhecer o próprio corpo

Descobrir os limites do próprio corpo; conhecer e aprimorar novas habilidades, capacidades, movimentos; melhorar a coordenação, a noção de espaço, o domínio corporal, além de desenvolver e fortalecer a musculatura, auxiliarão o desenvolvimento da criança.

Estimular a autoconfiança e a autoestima

A partir do momento que a criança conhece seus limites e é estimulada a desenvolver outros novos, sua autoestima e autoconfiança aumentam, porque ela se sentirá livre e mais segura de si, podendo, até mesmo, arriscar-se em movimentos nunca feitos antes.

Promover a socialização

A prática do Judô preza muito pela coletividade, amizade, trabalho em grupo, disciplina e respeito. Portanto, é uma grande oportunidade de trazer melhorias aos relacionamentos.

Contudo, os profissionais e responsáveis pelas crianças devem tomar cuidado para não gerar competição e prejudicar os laços construídos. A prática deve ser encarada como uma atividade lúdica e física, na qual todos devem participar sem se sentirem pressionados. Isso promoverá respeito ao próximo e ao diferente, já que cada um tem suas limitações e habilidades.

Auxiliar no processo de aprendizagem

A prática do Judô pode aumentar a capacidade de memorização e de concentração do(a) seu(sua) filho(a). Por trabalhar em grupo, ele(a) reconhece e respeita quando é a vez do colega tirar alguma dúvida, por exemplo, contribuindo para a aula como um todo.

Cuidar da saúde

Mesmo sendo uma atividade lúdica, não deixa de ser também física. É essencial que as crianças tenham contato com algum esporte desde cedo, justamente, para evitar doenças graves no futuro, como a obesidade.

Aprender a ter persistência

Alcançar a “faixa preta” é o objetivo mais desejado para os praticantes de Judô. Entretanto, até chegar lá, há muitos obstáculos e “nãos” pelo caminho. É muito importante que a criança saiba, desde cedo, que o “não” é necessário e faz parte da vida de todos. Assim ela entende que só por meio da persistência, pelo trabalho em grupo e respeito poderá alcançar o que deseja.

Instituições de ensino, como o Colégio Academia, que se preocupam com a formação humana de seus alunos, incluíram a prática do Judô na escola. Assim, constantemente, eles são despertados a buscar coisas novas e incentivados a ser cada vez mais respeitosos com o outro e seguros de si.

Gostaria de saber mais sobre as práticas extracurriculares? Então, entre em contato conosco, pois estamos abertos para qualquer dúvida!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.