matematica para crianças

12 brincadeiras para ensinar matemática para crianças de forma divertida

O conhecimento durante a infância pode ser estimulado de várias maneiras, o que contribui para que diferentes características e habilidades sejam desenvolvidas. Ensinar matemática para crianças de forma divertida é uma excelente opção para reforçar o que é aprendido no colégio e ajudar a melhorar o raciocínio lógico.

A abordagem tradicional é essencial, mas buscar outras formas de aprendizagem ajuda a criança a ter prazer e vontade de aprender sobre determinado assunto. É importante que os pais acompanhem o desempenho escolar dos filhos e busquem estratégias diferenciadas para ajudá-los nas matérias em que estão encontrando mais dificuldades.

Neste artigo selecionamos 12 dicas de brincadeiras que contribuem para o ensino da matemática para crianças. Confira nossas sugestões!

1. Jogos de tabuleiro

Os jogos de tabuleiro sempre foram muito apreciados pelas crianças e costumam ser excelentes aliados no aprendizado. As opções mais tradicionais, como damas e jogo da velha, estimulam o desenvolvimento de qualificações como estratégia e lógica. Além disso, melhoram o pensamento analítico, a noção de tempo, a concentração e a paciência.

O xadrez ajuda a exercitar o raciocínio, permitindo que as crianças criem antecipações e avaliem as consequências de cada movimento. Esse raciocínio estratégico é muito importante para o aprendizado da matemática e para ensinar outras noções. É preciso calcular as possibilidades do jogo, a fim de evitar que uma peça fique desprotegida, e ao mesmo tempo, alcançar o objetivo final, que é a vitória.

Também existem opções de jogos que incentivam o desenvolvimento de habilidades mais avançadas. Uma delas é o banco imobiliário, que ensina a matemática para crianças por meio do gerenciamento de valores. Outro jogo é o conhecido Imagem e Ação, que contribui para o fortalecimento da memória e pela agilidade nas ações.

2. Jogo da memória

O jogo da memória pode ser usado de várias maneiras diferentes, inclusive como um dos jogos de matemática. É possível incentivar o raciocínio por meio de números apresentados de forma diferente. Enquanto uma carta apresenta o número 10, o seu par ideal vai ser o que tem a multiplicação equivalente, que seria 2 x 5.

Essa é uma forma de incentivar as diferentes operações matemáticas, sendo possível colocar adição, subtração, multiplicação e divisão nas cartas. Além disso, os jogadores precisam estar atentos aos sinais e ligados para encontrar os pares. Isso estimula a concentração e ajuda a detectar alguma dificuldade, como o TDAH.

3. Dominó

O dominó também é um jogo antigo e, ainda assim, muito útil para o aprendizado. As peças, divididas ao meio e com duas representações numéricas em suas extremidades, permitem a compreensão matemática.

É possível, por exemplo, sugerir que a criança calcule a diferença entre os valores das peças ou indique qual somatória é maior que a outra. Inclusive, essa é uma solução para deixar o jogo ainda mais divertido e emocionante. Isso vai desenvolver qualidades como a flexibilidade de pensamento, a rapidez do raciocínio e a capacidade lógica.

4. Esportes

Os esportes ajudam a manter a criança saudável e desenvolvida fisicamente, contribuindo ainda para estimular o raciocínio matemático. Eles podem ser úteis tanto no momento da atividade quanto ao assistir a um campeonato ou acompanhar partidas de basquete, por exemplo.

Os benefícios para quem pratica as atividades podem vir por meio do cálculo de quantas voltas são dadas ao correr ou nadar, quantas cestas precisam ser feitas para ganhar o jogo ou a distância de uma borda da piscina até o outro lado. Esses são alguns exemplos, mas outros esportes também são utilizados e geram aprendizados de acordo com as especificidades da modalidade escolhida.

Os espectadores podem aprender a fazer os cálculos de quantas cestas um time precisa para ultrapassar outro ou acompanhar a classificação geral de alguma competição, permitindo que se entenda o que é necessário para alcançar o primeiro lugar.

5. Massa de modelar

As massas de modelar podem vir com kits com formas redondas, retangulares e outras figuras geométricas, mas o aprendizado matemático também pode ser feito com palitos de picolé ou até mesmo de forma livre. Sua utilização é interessante e gera diversas possibilidades, sendo uma boa ferramenta para o desenvolvimento motor das crianças.

A geometria é uma parte muito importante da matemática para crianças e deve ser estudada. Além disso, o manuseio das massinhas ajuda na compreensão de conceitos como divisão e fração. Essa atividade também é boa para impulsionar a capacidade de entender os tamanhos e a noção de espaço.

6. Boliche

O boliche é um jogo que está cercado de números, sendo que a adição é fundamental para compreender a pontuação. Dependendo da idade, é possível praticar em alguma pista ou local adequado, mas se a criança ainda for pequena, vale a pena investir de outra maneira.

É possível comprar um jogo completo de boliche infantil ou fabricá-lo. Isso pode ser feito com 10 garrafas PET e uma bola. Depois disso, é só determinar um número para cada garrafa e posicioná-las de forma que seja difícil derrubar todas de uma vez.

No fim de cada jogada, é hora de contabilizar quantos pontos foram conseguidos, de acordo com as garrafas derrubadas. Ganha quem fizer o maior número de pontos.

7. Brincadeiras de culinária

Aproveitar o tempo com os filhos para fazer atividades culinárias é uma boa opção para reforçar conceitos matemáticos. Vale ressaltar que toda atividade na cozinha deve ser feita com o acompanhamento de um adulto responsável.

No caso de preferir não cozinhar de fato, alguns brinquedos servem como jogos de matemática porque estimulam aprendizados. É o que acontece com aqueles que permitem que a criança faça bolos, sorvetes e outras receitas.

Durante os preparos culinários, é preciso calcular as porções necessárias das receitas e o tempo de preparo delas. Além disso, como envolve a necessidade de comprar ingredientes, princípios de economia também podem ser estimulados.

8. Blocos de construção

Os blocos de construção estão entre as atividades favoritas das crianças, então por que não usá-los como uma ferramenta para aprender matemática? É possível fazer comparações de tamanho entre as torres e pedir para a criança calcular a diferença entre elas, por exemplo.

Também há como criar tarefas com passos que indicam o número de blocos. A charada é que o pequeno vai ter que fazer um cálculo para chegar ao número certo de itens. Ainda é possível representar formas geométricas e até sequências matemáticas, dependendo da idade.

Essa é uma atividade que desenvolve o raciocínio lógico, o pensamento espacial, as habilidades geométricas e até os conhecimentos básicos de engenharia!

9. Jogos em computadores

A tecnologia pode ser uma grande aliada do conhecimento e se tornar uma ferramenta de matemática para crianças. A própria existência dos computadores se baseia em funções matemáticas e suas relações na programação. Legal, não é?

No caso das crianças, vale a pena recorrer a jogos de matemática com uma proposta diferenciada. Há opções específicas, como o Youcubed. O site está em português, mas é ligado à Universidade de Stanford, uma das mais conceituadas do mundo. Com atividades para todas as idades e níveis de conhecimento, garante horas de entretenimento e aprendizado.

Também há aplicativos, jogos online e muitas outras ferramentas que garantem que o(a) pequeno(a) possa explorar novos conceitos. Isso ajuda a estimular a percepção dos sentidos, favorece o raciocínio rápido e a lógica em vários níveis.

10. Jogo de dados

Assim como o dominó, os dados já são consagrados. Além de serem usados nos jogos de tabuleiro, podem servir para ensinar matemática para crianças. O primeiro ponto é a geometria, já que temos um cubo perfeito com suas 6 faces. É uma boa forma de ensinar o que são arestas, vértices, faces e assim por diante. Como será possível ver e tocar na peça, a compreensão é mais fácil.

Também é viável criar jogos de soma e de combinações. Se o pequeno jogar o dado e sair o número 4, vale perguntar qual é a soma máxima que ele consegue com apenas outro dado, por exemplo. Também é interessante fazer disputas de quem soma mais ou quem encontra o maior número de combinações.

É uma forma de desenvolver a criatividade com números e formas, além de estimular o planejamento, a estratégia e as operações aritméticas.

11. Dedos das mãos

Sabia que não é preciso ter nenhum tipo de brinquedo para ensinar matemática para crianças? Pois é, basta usar os dedos das mãos (e até dos pés, se for necessário). A ideia é realizar uma contagem simples e que pode funcionar até em grupo.

Se você estiver só com o(a) pequeno(a), é possível fazer brincadeiras em que cada um mostra um número e é preciso fazer a soma. Essa também é uma boa oportunidade de inserir conceitos sobre números pares e ímpares, por exemplo.

Em grupo, tudo fica especialmente divertido, já que temos números maiores. Na hora de saber quanto é 3 x 4, por exemplo, três crianças podem erguer quatro dedos — ou quatro delas podem erguer três dedos. Isso facilita a memorização e vai mostrar como os fatores podem ser mudados de lugar, sem prejuízo ao resultado.

É uma ótima maneira de estimular o raciocínio, o pensamento rápido e até para aumentar a familiaridade com números — afinal, o pequeno sempre pode contar nos dedos.

12. Quebra-cabeça

O conheço lógico e espacial é tão importante quanto saber a tabuada de cabeça, é por isso que o quebra-cabeça também é uma boa alternativa entre os jogos de matemática. O fato de ser dividido em um número específico de peças já permite começar a abordar os números, como ao questionar o total de linhas e fileiras, por meio da divisão. Isso serve para as crianças maiores, que já conhecem operações do tipo.

Também é possível investir no reconhecimento das formas, nos encaixes e até no planejamento de montagem. Isso vai estimular a percepção visual e a capacidade de resolver problemas visualmente — o que será útil até em questões que trazem apenas números.

Essas são algumas brincadeiras que podem ser úteis para ensinar matemática para crianças. A abordagem diferenciada contribui para desenvolver o raciocínio e ajuda a motivar os filhos a aprenderem mais. Além dessas opções, é interessante inserir os conceitos matemáticos de forma natural durante as atividades do cotidiano, como tomar banho, na hora do lanche e no trajeto até o colégio, utilizando o tempo, a distância e outras representações numéricas.

Para ter muito mais informações a fim de aplicar no cotidiano, assine a nossa newsletter!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.