o que é aprender fazendo

 O que é aprender fazendo? Conheça agora a cultura maker!

As novas metodologias ajudam as escolas a oferecer um aprendizado de mais qualidade para os(as) estudantes, trabalhando aspectos que eram deixados de lado nos métodos convencionais. Entender o que é aprender fazendo é importante para que essa cultura seja aplicada e qualifique o processo educacional.

O crescimento do que conhecemos como cultura maker é notório nas escolas, que investem nessa metodologia com a intenção de engajar os(as) estudantes no processo de aprendizagem. Essa abordagem traz benefícios para o desenvolvimento dos alunos, que vão desde o aumento da criatividade até a melhora do desempenho escolar.

Neste post, vamos entender o que é o aprender fazendo, também conhecido como cultura maker. Além disso, veremos como as escolas aplicam essa metodologia e os benefícios que ela oferece. Continue conosco!

O que é aprender fazendo?

O aprender fazendo é o que podemos definir como a cultura maker. Esse conceito tem a ideia de que qualquer pessoa consegue construir, consertar ou criar seus próprios objetos. A proposta é que as pessoas tornem suas ideias realidade, desenvolvam as próprias tecnologias, dispositivos e ferramentas.

Esse conceito é considerado uma extensão do termo inglês “Do It Yourself!”, que pode ser traduzido por “Faça Você Mesmo!”. Portanto, a prioridade está no fazer, ou seja, a prática está na frente da teoria.

Quando aplicamos esse conceito na educação, falamos da valorização da iniciativa, da atitude, da desenvoltura, da criatividade e da curiosidade nas atividades envolvidas no processo de ensino e da aprendizagem. É uma transformação do papel do(a) professor(a) e o aumento do protagonismo do(a) aluno(a).

A cultura maker é uma metodologia ativa que funciona por meio da execução de uma determinada tarefa, seja individual ou coletiva. Desse modo, os alunos são os principais agentes de aprendizado, estando diante de diversas possibilidades de ação.

Alguns fatores ajudam a explicar a popularidade dessa metodologia, como o crescimento do mundo digital e a redução do preço de equipamentos de tecnologia, possibilitando que esses recursos chegassem às escolas.

É importante ressaltar que a cultura maker não se aplica apenas aos recursos tecnológicos, mas tem também grande espaço para as tarefas manuais, como artesanatos e criação de outros projetos.

Com essa metodologia é aplicada nas escolas?

O modelo tradicional de ensino tem se mostrado desmotivador para os alunos, trazendo grandes dificuldades para o engajamento deles com as atividades e tarefas propostas. A cultura maker aparece como grande aliada ao aprendizado, pois transforma a escola em um universo para experimentação e prática do conhecimento.

Além de torná-la um ambiente colaborativo, a ideia do aprender fazendo possibilita maior interação entre os(as) estudantes e professores(as) no processo de ensino-aprendizagem, o que é fundamental para a avanço da educação.

Esse conceito é aplicado por meio de locais que possibilitem que os alunos exercitem toda sua imaginação e criatividade nas mais diversas áreas. É possível utilizar laboratórios, por exemplo, dando oportunidade para a criação de elementos tecnológicos ligados a robótica e programação.

A criação de um espaço maker também é relevante. Ele deve servir como uma oficina, dando aos alunos a oportunidade para a criação de projetos, ferramentas ou qualquer outra invenção que esteja relacionada com os conteúdos ministrados.

As possibilidades de aplicação do conceito de aprender fazendo na escola são inúmeras e representam uma grande oportunidade para os alunos voltarem a se interessar pelo estudo, encontrando motivação para o crescimento e o desenvolvimento.

Quais os benefícios que a cultura maker oferece?

A cultura maker traz benefícios para os(as) estudantes, contribuindo para o desenvolvimento completo e agregando novas habilidades. Vamos conhecer alguns deles!

Proporciona o estímulo à criatividade

A aplicação desse método na sala de aula permite que os alunos sejam estimulados a encontrar maneiras diferentes de resolver seus problemas, ou seja, precisam de criatividade. Assim, eles identificam oportunidades e criam produtos, sistemas e outros projetos a partir dos recursos que são disponibilizados a eles.

Por meio dessa atividade, os(as) estudantes criam repertório variado de conhecimentos e estimulam o cérebro a fazer correlações e a buscar soluções dentro das informações armazenadas.

Potencializa o aprendizado

Uma metodologia ativa contribui para que a aprendizagem seja significativa para o(a) aluno(a). O protagonismo dos(as) estudantes torna o conhecimento mais palpável e acessivo, pois eles aprendem aprende fazendo, errando e tentando novamente, sem medo de experimentar.

Desse modo, é possível aumentar a capacidade de compreensão e engajamento dos alunos, o que também viabiliza o melhor desempenho escolar.

Desenvolve as habilidades sociais

O desenvolvimento de habilidades sociais também deve ser ressaltado, já que muitas das atividades devem ser feitas em equipes. Atuando em conjunto para chegar à solução, o(a) estudante aprende desde cedo uma habilidade que será fundamental em sua vida profissional, que é o trabalhar em equipe.

Durante a realização das tarefas, ele(a) aprender a lidar com os gostos e opiniões diferentes dos colegas. Dessa maneira, consegue desenvolver o respeito pela opinião alheia, além de entender a importância de compartilhar o conhecimento com as pessoas ao redor.

Estimula a autonomia e autoconfiança

Outro benefício é o estímulo a autonomia e autoconfiança dos(as) estudantes, que passam a ter mais responsabilidade no processo de aprendizagem, proporcionando a independência emocional. O(A) professor(a) atua como um mediador, porém é o(a) aluno(a) quem coloca o ensino em prática, tomando as decisões e ações necessárias para concluir uma tarefa.

Quando ele(a) é capaz de criar algo ou cumprir uma tarefa, reconhece o próprio potencial para aprender. Essa percepção serve tanto para fortalecer a autoestima e para motivar a superar eventuais dificuldades de aprendizagem e em outros pontos da vida.

Neste post, vimos o que é aprender fazendo e como as escolas estão aplicando esse conceito na educação. A cultura maker é de extrema importância para os(as) estudantes, pois permite que eles se desenvolvam de maneira completa e aumenta o interesse pelo estudo. Portanto, é fundamental encontrar escolas que adotam essa metodologia na sala de aula e oferecer um ensino de qualidade para seus filhos.

Gostou de aprender mais sobre esse assunto? Aproveite para entrar em contato conosco e ver como o Colégio Academia incentiva o aprender fazendo nos seus métodos de ensino!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.