O que é bullying

Entenda o que é bullying e como identificar o problema

Atualmente, o bullying tornou-se uma das grandes preocupações dos pais. O desafio é saber identificar se os filhos sofrem desse mal que pode afligir crianças, adolescentes e até mesmo adultos. Neste post, explicaremos o que é bullying, seus diversos tipos e mostraremos os sinais apresentados por quem está passando por isso. Continue a leitura e confira!

O que é bullying?

Essa palavra estrangeira se originou do inglês “bully”, que significa “brigão” ou “valentão”, o que é basicamente a personalidade de quem pratica esses atos. Na atualidade, essa palavra se refere a atitudes ou ações agressivas e violentas praticadas intencional e repetidamente, dirigidas a uma pessoa com a intenção de humilhá-la, excluí-la ou de causar danos físicos ou psicológicos.

Tal pratica acaba gerando diversas consequências negativas para a vitima, portanto o bullying é extremamente prejudicial e mostraremos o motivo ao decorrer do texto.

Portanto continue a leitura e conheça os diversos tipos de bullying existentes, suas definições e o que causam.

Quais são os tipos e formas de bullying?

Uma pessoa pode agredir outra de diversas formas — psicologicamente ou fisicamente. Apresentaremos a seguir as principais formas de bullying vistas na sociedade e suas características.

Físico

Uma das formas mais comuns de se humilhar ou reprimir alguém é por meio de agressões físicas, como beliscões, socos, empurrões, chutes e outras ações similares a essas.

Escrito

Não tão comum quanto o físico, mas tão prejudicial quanto, o bullying também pode se manifestar em bilhetes, desenhos, cartas e e-mails depreciativos.

Moral

Semelhante a uma tortura psicológica, o bullying moral é quando um indivíduo se aproveita da difamação ou intimidação para controlar ou reprimir uma outra pessoa.

Social

Esse se parece um pouco com o moral, mas se diferencia no objetivo. Ele não tem como propósito a superioridade ou o controle de alguém, mas sim a exclusão da pessoa, fazendo com que ela fique sozinha e mais vulnerável.

Verbal

Pode ser percebido facilmente quando alguém agride verbalmente uma pessoa para ofendê-la com apelidos depreciativos, xingamentos ou provocações.

Cyberbullying

Essa é uma forma de bullying muito comum e recorrente nos dias de hoje, devido à vasta popularidade da internet e ao intensivo uso da tecnologia pelos jovens. É praticada por meio de ofensas em redes sociais, seja por escrito, seja por imagens, como GIFs.

O que é necessário para que ele ocorra?

Como vimos, as formas de agressão são diversas, podendo ser físicas, sociais, psicológicas ou verbais. Apesar de não ocorrer em um local específico, o bullying geralmente começa na escola ou em lugares onde ocorrem encontros de crianças e jovens.

Diante disso, é importante ficar atento aos amigos das crianças, pois são eles que, em geral, praticam esse tipo de violência. Mesmo que pareçam pessoas inofensivas à primeira vista, grande parte dessa agressão é feita por aqueles que estão próximos. Observe bem de perto as pessoas que fazem parte do círculo social de seu (sua) filho(a).

Para ocorrer, o bullying depende somente de uma vítima e de um agressor. Assim, a observação é importante para evitar que nossas crianças e adolescentes sofram desse mal.

Ficou preocupado (a) e quer saber se seu filho (a) corre perigo ou se está sofrendo nas mãos de outros colegas? Então continue a leitura, pois nos próximos tópicos explicaremos exatamente como identificar isso.

Quais são os sintomas de uma vítima?

Nunca se sabe ao certo, apenas em um olhar, se a pessoa sofre ou não algum tipo de agressão. Por isso, listamos a maioria desses indícios para você. Fique ligado (a) caso perceba em alguém os seguintes sinais:

  • falta de interesse em ir à escola — em geral, crianças que sofrem agressões dentro desse ambiente apresentam uma falta de interesse em voltar para lá, pois se sentem desprotegidas e vulneráveis;
  • distanciamento — a falta de confiança nas pessoas e até mesmo naquelas que são mais próximas, como a própria família e os amigos, também é um importante indício de que algo não está bem;
  • estar sempre cabisbaixo — um olhar triste e andar com a cabeça para baixo nunca são bons sinais. Portanto, não devem ser ignorados;
  • apresentar ferimentos — esse é um forte indicador de bullying físico. Investigue sempre que seu(sua) filho(a) chegar em casa com algum machucado, mesmo que apresente um motivo bobo para tal. Lembre-se de que ele(a) pode estar apenas querendo desviar o assunto e esconder um problema maior. Lembre-se de que ele pode estar apenas querendo desviar o assunto e esconder um problema maior.

Agora que listamos esses fortes indicadores que uma vítima pode apresentar, é hora de entender como tratar esse assunto com crianças e os adolescentes.

Por que é importante conversar sobre bullying?

Como é um assunto complexo e polêmico, é difícil conversar com alguém sobre bullying — mesmo que seja seu(sua) filho(a). Visto que a vítima tende a se isolar, a conversa é essencial para identificar vítimas de bullying e agressores. Além disso, mesmo que seu(sua) filho(a) não esteja passando por esse tipo de situação, o diálogo servirá para educá-lo(a) e ensiná-lo(a) sobre a postura correta caso presencie algum colega nessa situação.

Caso haja uma pessoa próxima que apresente algum dos sintomas aqui discriminados, tenha com ela um diálogo o mais aberto possível. No entanto, lembre-se de que essa pessoa estará extremamente acuada e insegura. Portanto, passe segurança e mostre que você só quer ajudar.

Por outro lado, caso a pessoa próxima seja um agressor, convença-a de que praticar bullying é errado e converse sobre as consequências que esses atos podem provocar em quem sofre essa prática. Se você sentir alguma dificuldade em ajudar tanto a vítima quanto o agressor, é recomendável procurar a ajuda de um psicólogo.

Desse modo, saber o que é bullying, aprender a identificá-lo e entender como agir diante dele são atitudes que compõem a fórmula certa para começar a combater esse mal. Por isso, cheque se todos os seus familiares e amigos estão bem e converse com eles sobre esse assunto tão importante. Também não se esqueça de curtir nossa página no Facebook para receber mais informações.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.