pensamento critico

Saiba agora como desenvolver o pensamento crítico nas crianças

O desenvolvimento do pensamento crítico em crianças e adolescentes deve ser uma prioridade, tanto dos pais e familiares quanto da escola. Essa é uma estratégia que visa ao estímulo da formação de ideias próprias no indivíduo e deve ser iniciada quanto antes. Mas, afinal: o que é isso?

Pensamento crítico é a capacidade que uma pessoa tem de pensar por si mesma, ou seja, de obter dados do meio em que está inserido e transformar as informações em opiniões e ideias próprias. Essa é uma habilidade fundamental não só para a vida pessoal, mas também para o âmbito acadêmico e profissional.

Felizmente, é possível trabalhar em conjunto com a escola de seu filho para o ajudar a desenvolver essa importante característica. A seguir, falaremos sobre dicas importantes para que esse aspecto seja devidamente trabalhado em sua casa. Vamos lá?

Estimule o hábito da leitura

Ah, os livros! É difícil encontrar um hábito que seja tão benéfico como o da leitura. Essa é uma atividade que estimula habilidades importantíssimas como a empatia, a criatividade, a atenção e a imaginação, além de ajudar nos estudos por meio da expansão do vocabulário e pela melhora da interpretação textual.

No entanto, os benefícios não param por aí: ler bastante também faz com que as crianças e adolescentes (e, claro, pessoas de todas as idades) entrem em contato com diferentes histórias, personagens e situações. Isso faz com que o estímulo ao pensamento crítico seja sempre estimulado, já que as opiniões (do leitor e do narrador) são parte da construção da narrativa.

Incentive o questionamento

Algumas fases do desenvolvimento infantil são particularmente complicadas. A partir dos 2 anos, nada parece fazer o menor sentido para os pequenos e é comum que eles despejem inúmeras perguntas nos que estão ao seu redor. É preciso, por parte dos responsáveis, encarar essa curiosidade sob uma perspectiva positiva e a estimular.

É perguntando que descobrimos um monte de coisas, certo? E, evidentemente, as crianças estão imersas em um ambiente no qual tudo é novidade. Estimular as questões e respondê-las é uma ótima maneira de desenvolver o pensamento crítico nessas pequenas mentes em expansão.

Levante questões polêmicas

Para crianças um pouquinho maiores, é fundamental que questões polêmicas sejam levantadas. Esse é um trabalho que deve ser feito em parceria com a escola, que deve estimular esse tipo de atividade por meio de debates e redações, por exemplo.

Conversar sobre os mais diversos assuntos é algo fundamental, independentemente de suas crenças ou opiniões. É necessário fornecer informações e deixar que o jovem pense por si, elaborando o próprio pensamento sobre assuntos do cotidiano e desenvolvendo consciência social. Lembre-se de que orientar não é, jamais, um sinônimo para imposição.

Trabalhe a argumentação

Além de trazer à tona algumas questões polêmicas ou que fazem parte do cotidiano, é importante trabalhar a questão da argumentação. Esse é um aspecto essencial para o dia a dia de qualquer pessoa, mas ainda mais importante para jovens que estarão, em poucos anos, em contato direto com as redações dos vestibulares, por exemplo.

Sendo assim, estimule a coesão e a formação de pensamentos em seu filho. Sempre que uma opinião for emitida, o pergunte sobre o porquê daquilo e tente rebater. Esses exercícios são importantes para trabalhar o jogo de cintura e a associação entre os mais variados temas, além de deixar os pensamentos com a marca registrada daquele que o emitiu.

Promova debates

Outra maneira interessantíssima de estimular o pensamento crítico é a promoção de debates. Mais uma vez, essa é uma atividade que deve ser feita tanto em casa quanto na escola, para um desenvolvimento ainda mais abrangente dessas questões na mente dos jovens.

Separar algumas notícias da semana e elaborar uma tarde de debates é uma boa maneira de fazer com que toda a família participe desse momento. Cada um emitirá a sua opinião sobre o tema e discutirá sobre os seus principais aspectos, mencionando, também, possíveis propostas de intervenção para solucionar a questão apresentada.

Pesquise a raiz do problema

Após identificar possíveis problemas na sociedade por meio das notícias, é chegada a hora de analisar esses eventos de modo mais profundo. Por isso, que tal ir até a raiz do problema? Você pode, então, auxiliar o(a) seu(sua) filho(a) na compreensão das origens daquela situação, por meio de pesquisas históricas.

Esse passo é essencial para o exercício e desenvolvimento do senso crítico. Com essa atitude, fica muito mais fácil correlacionar fatos do presente e do passado e, claro, estabelecer uma relação de causa e consequência entre decisões tomadas por pessoas de outras épocas que continuam a nos afetar até os dias de hoje.

Faça passeios educativos

Outra dica interessante para estimular a criatividade e a capacidade de criar opiniões em seu(sua) filho(a) é levá-lo(a) a passeios educativos, que instiguem a curiosidade do(a) pequeno(a). Museus, exposições e outros tipos de arte (o teatro, por exemplo, é uma excelente escolha!) são boas opções.

No entanto, lembre-se: qualquer passeio pode ser educativo, desde que tenhamos a motivação necessária. Pesquisar sobre a história de um local visitado, por exemplo, é uma ótima alternativa para descobrir como as ações do passado influenciaram no modo em que aquele ambiente se apresenta hoje.

Escolha as atividades que possam contribuir

Por fim, na hora de escolher atividades complementares para a educação de seu(sua) filho(a), priorize sempre aquelas que agreguem algum valor ao desenvolvimento do pensamento crítico. Isso, é claro, sempre considerando os gostos e preferências da criança, certo?

Mais uma vez, podemos citar o teatro como uma opção extremamente valiosa para a formação desse aspecto. No entanto, várias outras atividades (até mesmo as esportivas) podem contribuir positivamente para esse exercício, desde que isso seja bem trabalhado em casa.

A parceria entre a escola e a família é essencial para o processo de desenvolvimento do pensamento crítico infantil. Por isso, a instituição também deve promover atividades que corroborem a essa finalidade, trabalhando em conjunto com os demais núcleos sociais da criança.

Para mais informações ou resolução de dúvidas sobre esse assunto, entre em contato com a gente! Estamos disponíveis para conversar sobre os mais diversos temas ligados à educação de crianças e adolescentes. Aguardamos a sua mensagem!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.