redação do enem

 7 dicas top para fazer a prova de redação do Enem

A redação do Enem é considerada por muitos alunos do ensino médio como um grande desafio a ser vencido. Muitos acreditam ser quase impossível tirar 1000 pontos nessa prova, mas o objetivo deste conteúdo é desmistificar essa dificuldade e dar dicas úteis para melhorar o desempenho do(a) estudante.

A partir de 2009, o Exame Nacional do Ensino Médio passou a ser utilizado por várias universidades como modalidade de acesso ao ensino superior, sendo uma alternativa ao vestibular tradicional.

A prova traz questões multidisciplinares que abarcam conteúdos de todo o ensino médio, além da redação que visa testar o(a) aluno(a) acerca do conhecimento de temas gerais e sua capacidade de desenvolver argumentos.

Entenda melhor sobre esse exame e como o(a) seu(sua) filho(a) pode se dar bem nele!

O funcionamento da prova de redação do Enem

A prova de redação do Enem vale 1000 pontos e esse valor é dividido em 5 competências, cada uma delas valendo um total de 200 pontos. Confira cada uma:

Competência 1: domínio da norma culta da língua escrita

Nessa competência são avaliados os aspectos básicos da língua portuguesa. São observados a escrita correta das palavras, o emprego de expressões, a precisão vocabular, o uso correto das concordâncias, a pontuação, a flexão e a regência. Portanto, é fundamental que o(a) estudante estude muita gramática para conseguir diferenciar linguagem oral e escrita e assim se dar bem nesse quesito.

Competência 2: compreensão da proposta da redação e limites do texto dissertativo-argumentativo

Nessa competência, dois pontos importantes são avaliados: a capacidade de compreensão do tema e o desenvolvimento do(a) aluno(a) em relação ao estilo do texto. O primeiro ponto avalia se o(a) candidato(a) consegue ser fiel ao enunciado, desenvolvendo ideias secundárias a partir de um tema principal.

No segundo caso, o(a) aluno(a) é testado(a) segundo a sua capacidade argumentativa. Ou seja, se ele(a) consegue defender uma ideia com argumentos concretos, comparações, conceituações, realizando conclusões coerentes e fundamentadas.

Competência 3: capacidade de organizar, selecionar e interpretar dados e opiniões em defesa de um posicionamento

Aqui o avaliador perceberá, de forma geral, a organização do texto baseada em coesão e coerência. Nesse caso, é verificado se o texto elaborado apresenta claramente a ideia a ser defendida e argumentos que justifiquem o ponto de vista assumido pelo(a) candidato(a). Também será verificado, em consonância com a Competência 2, se as ideias desenvolvidas no texto correspondem aos conhecimentos de mundo relacionados ao tema.

Competência 4: conhecimento de mecanismos linguísticos para argumentação

Nessa competência, são julgados o conhecimento e os recursos linguísticos que o(a) aluno(a) utiliza para conseguir embasar sua argumentação ao longo das frases e parágrafos. Essa aptidão está bastante relacionada à competência 3, em que o indivíduo precisa identificar bem o momento de terminar uma frase, começar um novo parágrafo e encadear essas ideias com conectivos e pronomes.

Competência 5: elaboração de proposta solução, respeitando os valores humanos

Uma redação bem elaborada não deve ser fundamentada em “achismos”. O(A) candidato(a) deve ser capaz de elaborar propostas de solução, baseadas no problema central apresentado pelo texto de apoio e a solução deve ser coerente com tudo que já foi mencionado ao longo da redação.

Além disso, as propostas devem ser passíveis de serem realizadas e precisam valorizar as diferenças sociais e culturais, respeitando os valores humanos.

Dessa forma, o valor total da prova de redação será a soma dos valores divididos nessas 5 competências.

7 dicas para fazer uma boa redação no Enem

Muitos estudantes consideram a redação a parte mais difícil ou trabalhosa da prova. Sem a prática, escrever uma redação de 30 linhas pode parecer um desafio, mas se o(a) aluno(a) se preparar desde o início do ano, a redação pode se tornar uma etapa prazerosa. Veja como ajudar no rendimento do(a) seu(sua) filho(a):

1. Conheça os temas das provas anteriores

Antes de começar a praticar, é preciso conhecer a prova e o estilo da banca. Portanto, a melhor maneira de entender isso é avaliando os temas de provas anteriores. O Enem tem aumentado a complexidade dos assuntos, exigindo do candidato um conhecimento extra, que vai além do texto de apoio.

Normalmente, são temas de impacto nacional ou mundial e que estão em voga na mídia. Veja uma lista dos últimos temas desde 2009:

  • 2009: O indivíduo frente à ética nacional;
  • 2010: O trabalho na construção da dignidade humana;
  • 2011: Viver em rede no século XXI: os limites entre o público e o privado;
  • 2012: O movimento imigratório para o Brasil no século XXI;
  • 2013: Os efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil;
  • 2014: Publicidade infantil em questão no Brasil;
  • 2015: A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira;
  • 2016: Intolerância religiosa no Brasil;
  • 2017: Desafios para formação educacional de surdos;
  • 2018: Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet.
  • 2019: Democratização do acesso ao cinema no Brasil.

Além do tema, a prova também disponibiliza um ou mais textos motivadores que dão base ao(à) aluno(a) para compreender qual posicionamento ele(a) deve seguir. É importante lembrar que nenhum trecho deve ser copiado, pois isso é considerado plágio.

Para 2020, há alguns temas cotados como possíveis opções: o aumento das DSTs entre os jovens, os desafios da segurança pública no Brasil, as novas relações de trabalho na era da tecnologia, vacinação e o reaparecimento de doenças erradicadas e conservação do meio ambiente versus crescimento econômico mundial.

2. Treine semanalmente

Como qualquer atividade, o que leva à perfeição é a prática. Portanto, para atingir os mil pontos na avaliação é preciso alcançar 100% de satisfação nos requisitos — e a única maneira de fazer isso é treinando semanalmente.

Muitas escolas já disponibilizam aulas focadas na elaboração da redação. Mas, caso isso não ocorra, os pais podem incentivar os filhos a fazer uma redação por semana e pedir para que o professor de Português/Redação corrija e avalie segundo as competências pedidas na prova do Enem. Com essa prática, ao longo dos meses, o(a) aluno(a) diminuirá o tempo de elaboração da redação e aperfeiçoará a sua capacidade de escrita e de construção lógica.

3. Leia e reflita sobre conhecimentos gerais

Não adianta ter uma redação perfeita no âmbito da gramática se o texto for vazio de informações. As duas qualidades têm o mesmo peso, e o(a) aluno(a) precisa atentar a isso para conseguir argumentar de forma coesa e coerente.

Assim, ler notícias, se informar e refletir sobre o impacto das ações na sociedade é fundamental para sustentar uma opinião durante a redação. Além disso, a leitura ajuda no vocabulário, na articulação de ideias e no conhecimento da linguagem culta, por isso os pais devem incentivar esse hábito.

4. Conheça as ações que levam ao zero

Anualmente, o número de alunos que zeram a prova é imenso. Milhares de estudantes são eliminados da prova por não conhecerem as regras e requisitos básicos que causam um zero na prova. Veja alguns motivos:

  • deixar a redação em branco;
  • fugir do tema;
  • utilizar outro estilo que não seja o dissertativo-argumentativo;
  • deixar a redação a lápis;
  • redigir um texto de menos de 8 linhas;
  • desenhar, escrever palavras ofensivas ou textos sem afinidade com o tema;
  • formular argumentos e soluções que vão contra os direitos humanos, como pena de morte e tortura.

5. Cronometre o tempo

Normalmente, o indicado é que o(a) candidato(a) separe uma hora da prova para fazer a redação e passá-la a limpo. Pode parecer pouco tempo, mas com treino é possível atingir essa meta.

Por vezes, o(a) estudante tem capacidade de escrever uma redação perfeita, mas leva mais de uma hora para finalizar. Essa demora pode acabar prejudicando-o(a) na própria redação ou no desenvolvimento do restante da prova.

6. Descanse no dia anterior

O nervosismo e a ansiedade podem ser vilões na execução de uma boa prova. Assim, no dia anterior, não deixe o(a) seu(sua) filho(a) estudar ou fazer redações, pois isso vai cansá-lo(a) e deixá-lo(a) mais ansioso(a). Tente fazer atividades lúdicas e relaxantes com ele(a), incentive-o(a) a dormir cedo e recomende refeições leves.

7. Faça um rascunho da redação

Na hora da prova, por mais confiante que o(a) estudante esteja, é importante fazer uma lista com ideias e escrever um rascunho da redação. A lista ajudará a elencar prioridades. Primeiro, deve definir a tese, depois os argumentos e por fim as soluções para cada argumento defendido.

Com o rascunho será possível transformar as ideias em texto e validar ou excluir informações desnecessárias. Depois de reler, corrigir vírgulas, pronomes e outros detalhes, é hora de passar para a folha definitiva com muito cuidado, sem cometer rasuras e outros deslizes.

É importante ressaltar que os pais podem ajudar os filhos com essa preparação estimulando-os a ler, ajudando na organização dos estudos e no gerenciamento de tempo. Os alunos também podem treinar a escrita com a ajuda da plataforma Redação Nota 1000 que oferece correções detalhadas e com sugestões práticas para a melhora dos textos.

Podemos concluir que é possível atingir 1000 pontos na redação do Enem com muita prática e preparo ao longo de todo ensino médio. Gostou do nosso conteúdo? Que tal assinar a nossa newsletter e receber outros textos como este na sua caixa de e-mails?

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.