Redes sociais para adolescentes: quais são os perigos da super exposição nas redes?

Redes sociais para adolescentes: quais são os perigos da super exposição nas redes?

O número de adeptos à internet tem crescido consideravelmente. No entanto, é preciso avaliar e se precaver sobre os perigos das redes sociais, especialmente para os adolescentes, uma vez que eles ficam muito tempo online e a exposição acaba indo além do que é saudável.

Como nem sempre é possível controlar o que eles fazem nas redes sociais, é necessário que os pais estejam atentos para orientar e acompanhá-los para que haja o uso correto das ferramentas.

Para informar melhor sobre o assunto, preparamos este post, no qual reunimos dicas muito importantes para orientar pais e responsáveis. Acompanhe!

Mantenha sempre o diálogo

Muitas vezes, a correria do dia a dia é grande e, nesse tempo, o acompanhamento mais próximo da família pode ser comprometido e limitado. Assim, o conhecimento sobre o que acontece com os filhos, especialmente quando são adolescentes, tende a se tornar superficial, caso não sejam encontradas estratégias que possam suavizar a ausência dos pais.

O cuidado com a exposição à internet é fundamental para que os filhos estejam bem assistidos e orientados quando não for possível estar juntos deles. Os jovens estão dedicando muito tempo às redes sociais e ficam sujeitos ao contato com pessoas estranhas e postagens de informações que podem comprometer a segurança da família, por exemplo.

Dessa forma, é preciso estabelecer um vínculo de confiança com os jovens, para que eles se sintam à vontade para compartilhar suas experiências com a família e estejam orientados para lidar com situações que possam causar riscos.

Assim, mesmo que os pais não estejam presentes em determinados períodos, a tendência é que recorram à família quando se sentirem ameaçados ou perceberem que algo está fora do normal. A aproximação entre pais e filhos é muito favorável para que seja estabelecida uma relação de respeito e segurança.

Limite o tempo de uso

Os adolescentes podem usar as redes sociais, pois entretenimento e interatividade também são importantes ao processo de desenvolvimento deles. No entanto, é preciso que o tempo destinado seja limitado para que possam ocupá-lo também com outras atividades, que lhes acrescentarão e os enriquecerão como pessoas.

Permanecer por muito tempo nas redes sociais, pode tornar o acesso superficial e ainda promover maior exposição na internet, tornando o contexto ruim e deixando tudo vulnerável. Dessa forma, limite o tempo de uso, mas explique com delicadeza os motivos, sempre estabelecendo diálogo com os filhos.

Uma boa dica é propor intercalar as atividades, por exemplo, realizar todas as obrigações e também fazer algo de lazer que eles gostem, para depois usar as redes sociais pelo tempo que os pais acharem saudável e necessário.

Com o tempo, eles mesmos sentirão a necessidade de realizar atividades além do uso das redes sociais. É preciso mostrar outros caminhos prazerosos, que acrescentam significância na vida dos adolescentes, como ir ao teatro, cinema, lanchar com a família etc. Assim, saberão equilibrar seus afazeres com sabedoria.

Acompanhe as postagens

As postagens nas redes sociais são colocadas em tempo real. Logo, muitas informações relevantes são publicadas. Portanto, esteja atento a tudo que eles publicam, pois, muitas vezes, são indicativos do que sentem e o que estão passando.

Os adolescentes sentem as redes como um diário aberto, em que podem se expressar de diversas formas, por imagens, vídeos, fotos etc. Assim, muito do que colocam representa parte deles. Então, sempre questione as informações postadas por eles.

É importante que o acompanhamento e os questionamentos sugeridos não se tornem invasivos ou muito rigorosos, pois invadir a privacidade pode comprometer o relacionamento entre pais e filhos, bem como contribuir para que se afastem.

Oriente sobre o contato com estranhos

Como falado anteriormente, as redes sociais apresentam pontos positivos, mas é preciso estar atento com quem os adolescentes andam se comunicando e trocando informações e/ou fotos.

Devido à grande exposição por meio das publicações, normalmente, as informações podem atrair pessoas com más intenções e é imprescindível que seus filhos estejam orientados a lidar com essas situações, por exemplo, aceitar convites de estranhos, repassar informações da família, falar sobre locais que frequentam etc.

Além disso, conversar com estranhos pode ser perigoso. É importante que as pessoas sejam muito bem selecionadas e tenham alguma referência sobre elas. Outro aspecto importante é não repassar conteúdos pessoais.

Assim, ainda que eles conversem com alguém estranho em situações que a família não esteja presente, saberão identificar aquelas que possam colocar sua privacidade e segurança em risco. Dessa forma, os caminhos trilhados, ainda que sozinhos, serão muito mais tranquilos pelas orientações já recebidas sobre o assunto.

Fique atento às informações postadas

Outra orientação importante a respeito das informações publicadas é a necessidade de mostrar a eles que nem tudo pode ser postado. O que é publicado fica exposto para muitas pessoas conhecidas, mas também para as desconhecidas, que acabam tendo acesso à vida da família.

Logo, expor fotos que mostram locais visitados em tempo real, nome da escola em que estudam, detalhar atividades realizadas no dia a dia, pode comprometer a segurança, pois não se sabe quem as olha. No entanto, já existem recursos oferecidos pelas próprias redes que limitam esse acesso, mas, ainda assim, é muito importante orientá-los sobre esse contexto.

Como é possível observar, os perigos das redes sociais são muitos e a necessidade de um acompanhamento dos pais é importante para que os adolescentes saibam trilhar caminhos corretos, bem como identificar e lidar com situações que possam apresentar algum tipo de risco.

No entanto, é importante que os pais estejam sempre presentes e que prevaleça o diálogo em família sobre assunto, mas sem a invasão de privacidade. Para os adolescentes, não é legal se sentir ameaçado pelos próprios pais.

Portanto, em relação aos perigos das redes sociais, é preciso ter cautela nos diálogos e sempre usar bom discernimento e sabedoria. Ainda que a situação seja delicada, os pais precisam estar atentos para ganhar a confiança dos jovens e fazer com que o caminho seja traçado em parceria e respeito.

E aí, gostou do post? Então, continue conosco e saiba mais sobre como acompanhar seus filhos sem ser invasivo.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.